Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

82% aceitariam cargo inferior à última função, diz pesquisa

Segundo pesquisa da Catho, 54% dos empregadores não estão dispostos a contratar um profissional mais qualificado do que exigido para a vaga

Os brasileiros estão abrindo mão de cargos e salários compatíveis com seu currículo profissional para conseguir voltar para o mercado de trabalho. De acordo com pesquisa elaborada pela empresa de recrutamento Catho, 82% dos entrevistados já aceitaram ou aceitariam cargos inferiores ao último exercido.

O levantamento mostra que 30% dos entrevistados omitiriam qualificações para concorrer a vagas inferiores à experiência profissional acumulada ao longo da trajetória profissional.

Esse comportamento faz sentido se for levado em conta o indicador da pesquisa segundo o qual 54% das empresas não dizem que não contratariam um funcionário com mais qualificação que a necessária para a vaga em aberto.

Para a Catho, a cautela do empregador é compreensível, já que o recrutador não quer correr o risco de ter um funcionário que vai ficar na empresa de olho em vagas melhores. Conceito similar se aplica aos candidatos: ninguém quer entrar em um novo emprego contando os dias para sair, seja pela remuneração ou pela frustração de não aplicar todas as suas competências profissionais no novo trabalho.

A pesquisa identificou que 29% dos profissionais acreditam que perderam oportunidades por ter um currículo superior à vaga a que estavam concorrendo. Da parte dos recrutadores, 51% afirmaram que precisaram baixar as exigências de uma vaga para encontrar um profissional.

Atualmente, 13,1 milhões de brasileiros estão sem emprego, de acordo com os dados mais recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad Contínua), do IBGE. O número representa uma queda de 658.000 desempregados em relação ao trimestre anterior, encerrado em maio.

A pesquisa Catho sobre crise e mercado de trabalho ouviu 742 pessoas de todo o país.