Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Zac Efron surge erotizado em ‘The Paperboy’

No longa exibido nesta quinta em Cannes, jovem astro da franquia 'High School Musical' atua ao lado de Matthew McConaughey e John Cusack

Por Carlos Helí de Almeida, de Cannes 24 Maio 2012, 10h25

Adorado por adolescentes do mundo inteiro, Zac Efron surge em personagem erotizado pelo diretor Lee Daniels em The Paperboy, exibido nesta quinta-feira na competição do 65º Festival de Cannes. No filme, o jovem astro da franquia High School Musical, hoje com 24 anos, interpreta um ex-nadador que ajuda o irmão mais velho a investigar o caso de um homem no corredor da morte, no verão americano de 1969.

“Ele passa mais da metade do filme de cuecas. Isso me tirava a concentração no set”, brincou a cantora Macy Gray, que interpreta a empregada negra da família do personagem. “Erotizado? É impossível evitar isso em se tratando de Zac. A câmera não resiste. E eu sou gay!”, provocou o diretor, indicado ao Oscar por Preciosa (2009). “Por mais que ame o que fiz no passado, esse é o tipo de filme que gostaria de continuar fazendo agora”, explicou Efron.

Adaptação – The Paperboy é baseado no livro homônimo do escritor Peter Dexter, uma história de violência e racismo ambientada na calorenta Flórida. Matthew McConaughey interpreta o jornalista Ward James, que volta à cidade natal para, junto com o colega negro Yardley (David Oyelowo), apurar a verdadeira história por trás da condenação de um morador da região, vivido por John Cusak. Uma das fontes da dupla é a exuberante Charlotte Bless (Nicole Kidman), que troca cartas de amor com o detento.

“Minha identificação com o livro de Dexter é profunda. Eu conheço essas pessoas que ele descreve. Noventa por cento da minha família já trabalhou como serviçal para brancos, e eles adoram os seus patrões. Tenho um irmão que está preso por assassinato e uma irmã que se corresponde com um presidiário. Da mesma forma, fui vítima de preconceito racial em minha vida amorosa. Nos anos 80, um cara chegou a me dizer que não queria ser visto comigo, um homem negro, em público”, contou Daniels.

O diretor lembrou que leu The Paperboy na mesma época em que descobriu o livro Precious, de Sapphire, que inspirou seu primeiro filme de sucesso. “Os dois ficaram por muito tempo na minha cabeceira”, disse Daniels. “The Paperboy tem personagens ricos e únicos, mas tive que adiar os planos de filmá-lo porque era um projeto mais complicado. (O diretor espanhol Pedro) Almodóvar chegou a fazer um primeiro esboço de roteiro, mas ele acabou se distanciando da ideia.”

LEIA TAMBÉM:

‘On The Road’ tem recepção tímida em Cannes

Continua após a publicidade

Brad Pitt leva gângster moderno a Cannes

‘Xica da Silva’ abre tributo ao cinema brasileiro

Isabelle Huppert, a dama do 65ª Festival de Cannes

Conheça os filmes da competição

Presidiário brilha em Cannes. Sem aparecer

ugh Laurie e Stephen Fry voltam a trabalhar juntos

Animais de ‘Madagascar 3’ invadem Cannes

Humor negro de ‘Moonrise Kingdom’ abre festival

Continua após a publicidade
Publicidade