Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Virada Impressionista leva 16.000 ao CCBB de SP

Por Da Redação 6 ago 2012, 11h06

Balada paulistana do último sábado: passar a noite em uma exposição. Foi a impressionante – com o perdão do trocadilho – Virada Impressionista, que fez com que o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no centro, ficasse aberto das 15h de sábado às 22h de domingo. A expectativa dos organizadores era receber, durante todo esse período, 8.000 pessoas. Mas o número foi alcançado já às 6h de domingo e o balanço final foi de 16.000. E as filas não paravam. “Sou apaixonado por arte e estava ansioso. Não queria deixar de ver esses quadros já no primeiro dia”, disse o jardineiro Jarbas de Oliveira, de 57 anos, que vestiu paletó e gravata – e segurava um chapéu na mão enquanto contemplava os quadros.

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM: Brasil recebe a sua maior mostra impressionista

Cidade 24 horas por vocação, São Paulo redescobriu o potencial de eventos madrugada adentro em 2006, com a primeira edição da Virada Cultural. De lá para cá, a Prefeitura tem usado e abusado do recurso: além da Cultural, anualmente um retumbante sucesso, tem ainda a Sustentável e a Esportiva e está para sair a Gastronômica. Na esteira desse sucesso, instituições que não têm a ver com a Prefeitura também vislumbraram a possibilidade. É o caso do CCBB.

O centro cultural decidiu abrir as portas de modo ininterrupto no primeiro fim de semana da mostra Impressionismo: Paris e a Modernidade – Obras-Primas do Acervo do Museu d�Orsay. Uma das principais exposições paulistanas do ano, reúne 85 pinturas da coleção de um dos mais importantes museus franceses. Entre elas, obras de Paul Cézanne, Claude Monet, Edouard Manet, Vincent Van Gogh e Auguste Renoir.

Para o público, a ideia pareceu boa. “Quando fiquei sabendo, logo achei que seria um programa diferente para o sábado à noite”, comentou a arquiteta Carolina Laconalio, de 27 anos, meio assustada com o tamanho da fila. “Mas acho que todos tiveram a mesma ideia, não é?” Seu namorado, o músico Demétrios Galhiasse, de 31, concordou. “Só não esperava tanta gente assim.” Uma base móvel da Polícia Militar esteve a postos na frente do CCBB durante toda a madrugada – mas não foram registrados incidentes relacionados ao evento.

Serviço – De terça a domingo, das 10h às 22h, no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (rua Álvares Penteado, 112, Centro). Até 7 de outubro. Atendimento a grupos agendados: das 7h às 10h. Mais informações: (11) 3113-3651/ 3113-3652. Palestra com os curadores: dia 5/8, às 11h (retirada de senha na bilheteria com uma hora de antecedência).

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade