Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Val Marchiori e Geisy Arruda brindam ao som de Tim Maia

As duas estrelas do mundo das subcelebridades se encontraram na pré-estreia do musical 'Tim Maia – Vale Tudo', nesta segunda à noite em São Paulo

Por Mariana Zylberkan 13 mar 2012, 10h59

“Antes de aparecer em Mulheres Ricas, eu ia a muitos musicais, depois ficou difícil. Recentemente, fui ao musical de Luis Miguel (sic) e assisti escondida aos Bee Gees. Música é música, é bom de qualquer jeito. Adoro sertanejo, sou bem eclética”, diz Val

A noite era de estreia do musical Tim Maia – Vale Tudo em São Paulo. Mas, fora do palco do teatro Procópio Ferreira, quem roubou a cena foi um encontro de primeira grandeza no universo das subcelebridades. Val Marchiori e Geisy Arruda dividiram as atenções na pré-estreia para convidados do musical protagonizado por Tiago Abravanel, ator que é neto de Silvio Santos e já está escalado para a próxima novela de Glória Perez, na Globo.

Antes de se acomodarem na plateia, Val e Geisy posaram para fotos e contaram as expectativas em torno do espetáculo. “Eu ouvia muito Tim Maia quando era adolescente. Adoro”, disse Val , que culpou a fama pós-Mulheres Ricas, o reality show da Band, por sua atual distância dos musicais montados na cidade. “Antes do programa, eu ia a muitos musicais, depois ficou difícil. Recentemente, fui ao musical de Luis Miguel (sic) e assisti escondida aos Bee Gees. Música é música, é bom de qualquer jeito. Adoro sertanejo, sou bem eclética”, continuou, pondo na mesma cesta shows e espetáculos teatrais.

Enquanto isso, Geisy falava sobre seus planos profissionais a uma repórter de TV. “Eu recusei convite para interpretar uma gostosona no teatro. Não quero fazer aquilo que as pessoas esperam que eu faça”, disse a ex-estudante da Uniban, depois de atender aos pedidos dos fotógrafos e empinar o bumbum para fotos.

O encontro entre as duas aconteceu no intervalo do espetáculo. “Nossa, ele parece a reencarnação do Tim Maia. Eu me emocionei com a música Primavera e também com a parte da morte do pai dele. É uma coisa de perda muito triste”, filosofou Val. Antes de ir embora, sem assistir à segunda parte do musical, a perua brindou com Geisy, cada uma com uma taça de prosseco nacional nas mãos. “É nacional? Ai, hello, mas está ótimo.”

Continua após a publicidade
Thiago Abravanel no palco como Tim Maia
Thiago Abravanel no palco como Tim Maia VEJA

Vida musical Logo na primeira cena, o musical Tim Maia – Vale Tudo faz menção, e também piada, de uma particularidade da carreira do músico que, ao mesmo tempo que se tornou sua marca registrada, pontuou sua derrocada artística e física. A banda começa a tocar os primeiros acordes de Vale Tudo e Tim Maia simplesmente não aparece em cena.

O locutor, então, informa que Tim Maia teve um contratempo e irá se atrasar. Em seguida, agradece a todos pela paciência. Além de relembrar todos os atrasos e canos do cantor, o episódio remonta ao fatídico show no Teatro Municipal de Niterói, em 1998, em que Tim Maia passou mal no palco. Ele morreu uma semana depois, de infecção generalizada.

O ator Tiago Abravanel, neto de Silvio Santos, segue com uma interpretação visceral do músico que só peca pelo exagero em relação ao tom de embriaguez, como se Tim Maia não tivesse tido nenhum momento de sobriedade, apesar do conhecido vício em álcool e drogas.

Músicas conhecidas de seu repertório, como Primavera, These Are The Songs, Não Vou Ficar, Eu Amo Você e Coronel Antônio Bento, pontuam passagens importantes da vida do cantor.

O cenário, praticamente inexistente, é formado por algumas cadeiras e a banda que toca ao vivo, uma clara indicação de que, no palco, a atração principal são mesmo as músicas de Tim Maia.

Continua após a publicidade
Publicidade