Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Two Door Cinema Club traz guitarras pop ao Lollapalooza

Trio de indie pop da Irlanda do Norte desembarca no país pela segunda vez para fazer seu primeiro show em São Paulo no fim do mês

Por Carol Nogueira 13 mar 2013, 09h41

Menos de seis anos atrás, os amigos Alex Trimble e Kevin Baird ainda eram adolescentes que se divertiam brincando com a pronúncia errada do amigo Sam Halliday para o nome do cinema de County Down, região na Irlanda do Norte onde cresceram. O nome era Tudor Cinema, que na língua enrolada do rapaz sempre virava algo parecido com Two Door Cinema – nome adotado por eles quando decidiram montar uma banda, naquela mesma época. Hoje, dois discos e uma volta ao mundo depois, algo do clima de ingenuidade se desfez e Trimble (voz), Baird (baixo) e Halliday (guitarra) chegaram a um momento decisivo em sua carreira, e é vivendo este momento que desembarcam pela segunda vez ao Brasil, como atrações do festival Lollapalooza, que acontece no fim do mês.

Em 2009, menos de dois anos depois de se inspirar no cinema da cidade para iniciar carreira, o grupo conseguiu emplacar no Reino Unido o hit Something Good Can Work, que chamou atenção por ir na contramão dos sintetizadores e efeitos eletrônicos – comuns às bandas que surgiam então – e usar guitarras, mas numa afinação bastante aguda, que lembra teclado. O álbum abriu portas para o grupo na badalada gravadora francesa Kitsuné, responsável por lançar várias tendências no mercado musical. “Foi tudo muito rápido, mas, na época, não imaginávamos que ia estourar”, conta o baixista Kevin Baird ao site de VEJA.

https://youtube.com/watch?v=1PorW3y5n1w

Seu primeiro disco, lançado no ano seguinte, o ótimo álbum Tourist History, tinha faixas tão pop que todas poderiam virar músicas de trabalho – lição que aprenderam bem com seu grupo favorito, os Beatles. Não demorou até que a banda rodasse o mundo todo em turnê. Fez shows pela Europa, Oceania e Ásia. Mas o giro não agradou tanto. “Gostamos de viajar, porque conhecemos gente, mas não de ficar o tempo todo na estrada. Sentimos saudades dos nossos amigos e da família”, diz Baird.

Em 2011, o Two Door Cinema Club teve uma bombástica estreia na América – ainda que não do mesmo tamanho que a de seus ídolos. Estiveram no line-up dos festivais americanos Coachella e Lollapalooza, e também no Brasil, onde tocaram no Meca Festival, no Rio Grande do Sul, e no Rio de Janeiro – na época, o grupo não passou por São Paulo, mas volta agora para compensar. “Queremos aproveitar para conhecer a cidade”, diz o baixista.

No ano passado, a banda lançou o seu segundo disco, Beacon, um pouco menos empolgante que o primeiro, com músicas mais “sérias”. Indicativo de que ganharam crédito com a gravadora, o álbum foi produzido por Jacknife Lee, conhecido por trabalhos com U2 e R.E.M. Outro indicativo de crédito foi o convite, feito ainda em 2012, pelo cineasta Danny Boyle (Quem Quer Ser um Milionário? e 127 Horas) para que o vocalista Alex Trimble participasse da cerimônia de abertura das Olimpíadas de Londres – para delírio dos colegas de banda, ao lado do ex-beatle Paul McCartney.

Depois de tanta coisa acontecer em tão pouco tempo, Baird explica que a ideia do grupo era que as canções do segundo disco fossem “reflexivas”. “Queríamos expressar tudo o que sentimos desde que montamos a banda e como foi passar por tantos países”, conta. Daí a ideia de abrir o disco com o verso “Eu não sei onde vou descansar minha cabeça esta noite” e fechar com “Estou indo para casa”. Segundo ele, são as mesmas sensações do começo e do fim de uma turnê. Tanta inquietação também pode ser insegurança com o segundo disco – considerado uma espécie de termômetro para a indústria musical, que diz se uma banda vai ter futuro. O Two Door Cinema Club está mais para a primeira opção, mas ainda precisa se esforçar para provar.

Lollapalooza – Fundado em 1991 por Perry Farrell, vocalista do Jane’s Addiction, como um festival itinerante, o Lollapalooza se fixou em 2005 em Chicago, onde ocorre até hoje e é um dos principais eventos americanos de música. Desde 2011, acontece também em Santiago, no Chile e, em 2012, estreou sua versão paulistana (que teve como atrações principais as bandas Foo Fighters e Arctic Monkeys). Uma edição em Tel Aviv, em Israel, também estava marcada para este ano, mas foi cancelada. A segunda edição do festival em São Paulo acontece entre os dias 29 e 31 de março no Jockey Club, e tem como atrações as bandas Pearl Jam, The Black Keys e The Killers.

Continua após a publicidade
Publicidade