Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘The Voice Brasil’: Brown se rende às músicas em inglês

Técnico já disse que tem resistência a quem não canta em português, mas na terceira rodada de audições às cegas bateu para todos que mudaram o idioma

Por Pollyane Lima e Silva - 18 out 2013, 07h25

No dia em que Miá Mello fez jus ao título de co-apresentadora e apareceu (finalmente!) na sua função de entrevistar os candidatos nos bastidores, Carlinhos Brown parece ter mudado seu jogo no The Voice Brasil. O baiano, que já admitiu resistência a candidatos que cantam em inglês, ficou mais maleável na terceira rodada de audições às cegas. “Minha estratégia é MPB”, afirmou mais de uma vez nesta edição. Na semana passada, chegou a dizer para uma das candidatas: “Você mostrou caráter vocal, embora tenha cantado em inglês. Eu nem entendo bem a língua”. Obviamente, exagerou para arrancar risos da plateia, mas queria mesmo era deixar clara a sua preferência.

Leia também:

Leia também: Claudia Leitte só quer a nata do ‘The Voice Brasil’

Na noite desta quinta-feira, porém, a convicção não era mais tão forte assim. Fato é que alguns dos candidatos mais fortes até o momento interpretaram músicas internacionais. E nenhum deles está no time de Brown. Percebendo a desvantagem clara, o baiano bateu desta vez para os quatro selecionados que cantaram em inglês, e protagonizou disputas divertidas para ficar com eles. Abusou, também, do discurso, levando a produção a soltar – pela primeira vez nesta temporada – o som do berimbau que indica que ele passou dos limites no falatório. Aproveitando a batida, ensaiou uns passos de capoeira com Lulu Santos para convencer Rafael Furtado a escolher. O pernambucano, que havia cantado Don’t Look Back in Anger, sucesso dos britânicos do Oasis, ficou com Lulu.

Brown havia batido também para Maysa Ohashi, que interpretou If Ain’t Got You, de Alicia Keys; Rodrigo Castellani, com Higher Ground, de Steve Wonder; e Bruna Góes, que escolheu Proud Mary, hit da banda Creedence Clearwater. Mas as meninas optaram por Claudia, e o jovem, também por Lulu. Arriscado escolher um tutor que critica o que você gosta de cantar. Vendo-se relegado, Brown voltou atrás. Primeiro, de forma discreta. “Não estou muito atrás de quem cante em inglês, mas o que vale é ter uma boa voz.” Depois, escancaradamente mesmo. “Não importa a nossa língua, não há barreiras para a forma de cantar.” Tarde demais. Teve de se contentar com dois que cantaram em português, embora muito bem: Marcos Lessa e Raíza Rae, somando sete concorrentes em seu time.

Leia também:

Leia também: Técnicos auxiliares entram em ação

Continua após a publicidade

A surpresa da noite ficou por conta de Daniel. O sertanejo que começou o terceiro episódio com míseros três candidatos em sua equipe, saiu da lanterna com louvor. Enfim mão-aberta, virou para oito candidatos e encerrou a noite com sete cantores – sem contar a segunda voz da dupla André e Kadu. “Disseram que eu estava mais sensível, não sei. Mas, com certeza, bati meu recorde e me sinto vitorioso”, comentou, em vídeo exibido no site oficial do programa após a gravação. Claudia também tem sete na disputa. Levemente à frente, está Lulu, com oito integrantes no grupo. Das 48 vozes que passam para a segunda fase (12 em cada time), 29 estão selecionadas.

Leia também:

Final do ‘The Voice Brasil’ será em casa de shows no Rio

Segundo dia de audições às cegas foi marcado pelo arrependimento

‘The Voice Brasil’ impulsiona até carreira de eliminados

Continua após a publicidade
Publicidade