Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Taylor Swift perde seu lugar no clã dos Kennedy

Um amigo culpa a agenda da cantora pelo fim da relação com sobrinho-neto de JFK, enquanto outro afirma que, na verdade, o moçoilo se assustou com a seriedade da namorada, ávida por fazer parte da família mais famosa dos EUA

Por Da Redação 25 out 2012, 20h24

Taylor Swift, 22, e Conor Kennedy, 18, filho de Robert Kennedy Jr. e sobrinho-neto de JFK, não estão mais juntos. O que pode ser um grito de liberdade para o jovem Conor pode representar, para a cantora country, um adeus ao conto de fadas de pertencer à família mais famosa dos Estados Unidos.

Em conversa com o site americano Radar Online, uma fonte próxima ao casal disse que o menino Conor queria aproveitar a vida. “Ele tem apenas 18 anos e não estava preparado para nada muito sério.” Enquanto isso, Taylor investia em firmar a relação, porque estava em busca de sua alma gêmea e a-do-ra-ri-a que ela tivesse o sobrenome-grife Kennedy

De acordo com essa fonte, a obsessão da cantora pela história do clã, revelada pela própria à revista The New Yorker, fez com que ela forçasse a barra com Conor. Grosso modo, Taylor dava mais importância à ideia de estar namorando um Kennedy do que ao próprio namorado. “Ela é louca por histórias de amor”, completou a fonte.

Já outro amigo do casal, este ouvido pelo site da revista Us Weekly, culpou a agenda lotada da cantora country pelo término do relacionamento. “Eles terminaram discretamente há um tempo. Tinham problemas com a distância.” Segundo o amigo não-identificado, tudo se deu numa boa, sem desentendimento. O casal começou a namorar dias depois do feriado americano de 4 de julho, quando se conheceram. Eles passaram boa parte do verão juntos, mas os compromissos da carreira de Taylor teriam cruzado o caminho do romance.

A cantora lançou nesta semana o disco Red, que vai jogá-la de novo na estrada, o que dificultaria ainda mais o relacionamento. “Faz mais de um mês que os dois não se veem e, com as ações promocionais de Red, ela não terá tempo livre até o final do ano”, disse o amigo ouvido pela Us Weekly.

Continua após a publicidade
Publicidade