Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Star+ acirra disputa pelas transmissões de jogos ao vivo no streaming

Nova plataforma da Disney terá jogos da Libertadores e dos campeonatos europeus, e chega para concorrer com HBO Max, Globoplay e até com Facebook e YouTube

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 3 set 2021, 16h20 - Publicado em 31 ago 2021, 09h59

“Das coisas menos importantes, o futebol é a mais importante delas”. A lapidar frase do ex-técnico italiano Arrigo Sacchi continua mais atual que nunca – especialmente durante a pandemia, quando as transmissões esportivas trouxeram algum divertimento para as torcidas, impossibilitadas de irem aos estádios. Com as TVs se transformando na única alternativa para acompanhar os jogos, outra disputa ficou ainda mais acirrada: a dos direitos de transmissão das partidas. Por muito tempo, essa batalha ocorreu apenas no âmbito da TV aberta e fechada. Mas, com a ascensão das plataformas de streaming, o jogo começa a mudar.

Nos últimos tempos, a entrada em campo de “players” do ramo, como HBO Max, Globoplay, Amazon e até o Facebook e o YouTube, sinalizou a abertura de uma nova frente de concorrência para as emissoras abertas e, principalmente, para a combalida TV por assinatura. Mas a estreia de um novo serviço, o Star+, braço adulto da Disney+, é que promete elevar a disputa a outro patamar. A plataforma, disponível no Brasil a partir desta terça-feira, 31, vai transmitir ao vivo no streaming os principais jogos da Copa Libertadores da América, os campeonatos francês, espanhol, inglês, italiano e argentino, além das competições da UEFA, a Europe League e a Conference League. 

Fruto da compra dos canais da Fox e ESPN pela Disney, o Star+ vai transmitir, além do futebol, outras modalidades cujos direitos pertencem à ESPN, como alguns jogos da NBA (basquete), WSL (surfe), MotoGP e Bellator (MMA). Para além dos esportes, também farão parte da plataforma+ todas as temporadas dos Simpsons, os filmes da 20th Century Studios e séries como Walking Dead, This Is Us e American Horror Story. “A Disney entendeu que precisava ter uma oferta completa de produtos. E o Star+ é focado no público adulto”, diz Cristiano Lima, executivo da empresa. 

O movimento de oferecer conteúdo esportivo ao vivo no streaming poderá explodir nos próximos anos em razão de dois fatores. O primeiro é a fuga dos assinantes da TV por assinatura, que poderão usar esse dinheiro para pagar por mais canais de streaming. E o segundo virá com o aumento do número de brasileiros com acesso à internet de alta velocidade, que finalmente poderão usufruir do serviço de maneira satisfatória. Mas as transmissões esportivas ao vivo, seja no streaming ou na TV convencional, se destacam ainda em outro aspecto. Elas não concorrem com o tempo das pessoas. Quer dizer, o torcedor geralmente se programa para assistir às partidas de seu time do coração. Ou seja: dificilmente uma série de TV no streaming concorrente ou até mesmo uma soneca o impediria de assistir ao jogo. Trata-se de uma audiência garantida – e que já está sendo usada pelas plataformas como moeda de troca na venda de cotas milionárias de patrocínio. 

.Flamengo venceu o Olimpia com tranquilidade em Assunção -
Flamengo é um dos favoritos na Libertadores deste ano; competição será transmitida pela Star+ – Christian Alvarenga/Getty Images
Continua após a publicidade

Segundo fontes do mercado ouvidas por VEJA, até o momento, nenhuma empresa cobrou mais caro para veicular os anúncios no streaming. “Mas nas reuniões de mídia, ter um canal de streaming já está sendo considerado um diferencial”, disse uma fonte do setor. Atualmente, os valores que as marcas pagam por uma cota de patrocínio nas transmissões da TV fechada giram em torno de 15 a 30 milhões de reais por competição. São valores também disputados pelo Facebook, YouTube e até mesmo pelos clubes de futebol, que criaram seus próprios canais. O Facebook, assim como o Star+, também vai transmitir a Libertadores e cobrou entre 7 e 25 milhões de reais por cota de patrocínio. “A vantagem do Facebook é que eles garantem a entrega dessa publicidade para o público-alvo que desejamos”, diz a mesma fonte do mercado publicitário. 

Por isso, a grande disputa das plataformas continuará sendo a mesma que historicamente é travada na TV convencional: obter a exclusividade das transmissões para forçar o espectador a assinar o canal. A HBO Max, por exemplo, transmitirá com exclusividade todos os 125 jogos da Champions League desta temporada. Mas, no fundo, a briga dos serviços de streaming é contra o poderio da Globo na área. A emissora levou para o seu serviço de streaming, a Globoplay, os canais SporTV, Combate e Premiere, oferecendo aos assinantes a transmissão da vasta maioria dos jogos de futebol e do UFC (o principal torneio de MMA).

Tal como num jogo de futebol, às vezes ocorrem alguns golaços nas negociações. Um deles foi marcado pelo próprio Star+, que já havia fechado exclusividade de transmissão do campeonato francês antes de o jogador argentino Lionel Messi anunciar sua ida para o Paris Saint Germain. “Houve uma corrida de diversos canais pela exclusividade, mas nós já tínhamos assinado antes. Ganhamos o Messi na nossa programação de graça”, comemora Carlos Maluf, executivo da ESPN e de esportes no Star+. 

Os preços, por enquanto, são convidativos. O Star+ terá mensalidades de 32,90 reais ou 45,90 reais (no combo com a Disney+). Já a HBO Max tem planos anuais de 14,15 reais (qualidade de vídeo padrão e reprodução em uma tela por vez) ou 19,90 reais (alta definição e reprodução em três telas ao mesmo tempo). Na Globoplay, quem já é assinante dos pacotes Premiere ou Combate na TV por assinatura pode assistir também às transmissões no streaming. O valor da assinatura apenas do Premiere sai por 49,90 reais ou 69,90 reais (no combo com os canais Globo). Cada vez mais, é o espectador – ou seu bolso – quem manda no jogo.

Clique aqui para assinar Star+

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)