Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

“Sou do axé, não vou fugir”, diz Ivete Sangalo antes do show

Por Rodrigo Levino, da Cidade do Rock 30 set 2011, 21h38

Em conversa com o site de VEJA pouco antes de subir ao Palco Mundo do Rock in Rio, a cantora baiana Ivete Sangalo se disse indisposta para responder às críticas à sua escalação, vinda de parte do público para quem a axé music destoa do festival. “Há 26 anos, as escalações do Rock in Rio são discutidas e eu acho isso saudável. Deixamos a hostilidade e chegamos ao debate civilizado”, disse ela, evitando a polêmica. “As pessoas têm direito à opinião. E eu, como convidada, tenho o direito de apresentar o melhor show possível.”

Por melhor show possível, a cantora quer dizer uma performance vigorosa com repertório focado na própria carreira. “Costumo fazer shows de até três horas. Vou ter uma hora no Rock in Rio. Então, ao definir o repertório pincei músicas que potencializam esse tempo”, explicou.

A cantora nascida em Juazeiro, no interior da Bahia, se consagrou como a maior expoente da axé music em 1999, quando começou carreira-solo depois de anos à frente da Banda Eva. Agregou à sua lavra elementos de música pop, funk, soul e um tanto menos de rock. “Cresci ouvindo discos da Motown, Stevie Wonder, uns poucos álbuns de rock como AC/DC, mas a música que eu faço é axé music e não vou, nem quero, fugir disso”, disse Ivete, 39, que já vendeu mais de 15 milhões de discos.

Sobre os shows do Rock in Rio, a cantora se disse particularmente impressionada com a performance dos americanos da banda Slipknot — “Me impressionei com a habilidade deles como músicos que não deixam de ser performáticos” — e contou ter se emocionado com a apresentação de Stevie Wonder na madrugada desta sexta-feira.

Continua após a publicidade

Publicidade