Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Som pesado entrou de penetra na festa do Iê Iê Iê em show de Ringo Starr

Rock conceitual desaponta parte do público que foi ao Credicard Hall neste sábado em busca dos sucessos dos Beatles. Baterista cantou poucos sucessos do fab four

Por Mariana Zylberkan 13 nov 2011, 08h36

O desfile de camisetas dos Beatles que tomou conta do público no saguão do Credicard Hall, em São Paulo, neste sábado deixou claro: o público saiu de casa para ver o baterista dos Beatles que se apresenta pela primeira vez em solo nacional. Ringo Starr era o anfitrião da festa, mas dividiu as atenções, mais do os beatlemaníacos gostariam, com os outros sete integrante da banda All Starr Band, formada em 1989. Os músicos revezaram a atenção do público numa mistura maluca de hits dos anos 80, como Broken Wings de Richard Page do Mr. Mister, rock dos anos 60 e som pesado.

Ringo abriu o show no centro do palco e diante da bateria que aguardava seus solos. Graciosamente desengonçado o ex-beatle de 71 anos dançou e cantou It Don’t Come Easy, seu primeiro single solo, lançado em 1970, já no fim dos Beatles. Os braços longos balançavam de um lado para o outro numa visível falta de intimidade com a frente do palco. Na segunda canção, Ringo posicionou-se diante da bateria e, com as baquetas nas mãos, voltou ao seu habitat natural. Sentado, ele cantou na sequência mais duas de sua carreira solo.

Apesar de seu nome ter sido chamado insistentemente pelos fãs na fila do gargarejo, Ringo manteve a discrição de baterista e se limitou a ditar, no fundo do palco, o compasso nas apresentações de Rick Derringer, que mandou o clássico Hang On Sloopy, dos tempos de The McCoys, seguido do multi-instrumentista Edgar Winter e Wally Palmer, ex-guitarrista da banda The Romantics que cantou Talking In Your Sleep, de 1983.

Mesmo receptiva aos All Starrs de Ringo, a plateia somente vibrou para valer quando o baterista mandou os primeiros acordes de I Wanna Be Your Man, hit dos Beatles.

O resto do show seguiu o mesmo ciclo: Ringo cantou sucessos dos Beatles – Yellow Submarine e With a Little Help From My Friends – entre apresentações dos colegas de banda. O clima setentista da maior parte do show – ornado com o repetido símbolo de paz e amor feito por Ringo com os dedos – foi quebrado por sessões de rock conceitual. O solo de teclado de Edgar Winter foi páreo no quesito chatice somente para o solo de guitarra de Rick Derringer.

Após o momento de improvisação roqueira, Ringo voltou ao palco, após alguns minutos nos bastidores, para cantar mais algumas músicas de sua carreira solo e fechar o show com o apoteótico With a Little Help From My Friends. Não houve bis. Os integrantes da All Starr Band puxaram o refrão de Give Peace a Chance para Ringo se despedir do público e dizer: “Paz e Amor.Eu amo todos vocês.”

O show da turnê de Ringo Starr e sua All Starr Band faz mais um show neste domingo no Credicard Hall, em São Paulo, e segue para o Rio de Janeiro onde se apresenta nesta terça no Citibank Hall. No dia 16 de novembro, a turnê vai a Belo Horizonte (Chevrolet Hall) de onde segue para Brasília (Centro de Convenções Ulysses Guimarães), que recebe o ex-beatle no dia 18. O último show no Brasil está marcado para o dia 20 de novembro em Recife, no Chevrolet Hall.

Continua após a publicidade
Publicidade