Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Silvio de Abreu deixa a Globo e emissora anuncia nova estrutura

A emissora está fazendo grandes reformulações em sua estrutura e no lugar de Abreu assume o diretor José Luiz Villamarim, na Globo desde 1993

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 27 nov 2020, 16h23 - Publicado em 27 nov 2020, 16h21

A Rede Globo anunciou nesta sexta-feira, 27, uma grande reformulação em sua estrutura de entretenimento. A primeira grande mudança foi anunciada pelo novo diretor de entretenimento, Ricardo Waddington, que confirmou a saída do autor Silvio de Abreu, 77 anos. Na emissora desde 1978, e à frente da dramaturgia desde 2014, o profissional comunicou que deixaria a empresa até o final de março, quando seu contrato seria encerrado. Em seu lugar assume o diretor José Luiz Villamarim.

Quem também deixa a emissora é Monica Albuquerque, que entrou na emissora em 2000, diretora da área de desenvolvimento e acompanhamento artístico. A diretoria deixará de existir e em seu lugar duas áreas sob seu guarda-chuva vão atuar independentes, a de criação de conteúdo (a cargo de Edna Palatnik) e a gestão de talentos artísticos, conduzida por Adelia Croce. De acordo com Waddington, o novo desenho da emissora vai reforçar o protagonismo da criação e do elenco.

Na Globo desde 1993, José Luiz Villamarim é um dos responsáveis pela novela Amor de Mãe, interrompida por causa da pandemia. É dele também obras como O Canto da Sereia (2013), Amores Roubados (2014), Justiça (2016) e Onde Nascem os Fortes (2018). “É uma estrutura disruptiva com olhar de futuro, que mira na entrega de conteúdo de qualidade com eficiência em custo”, apontou Ricardo Waddington.

“Silvio de Abreu e Monica Albuquerque foram dois pilares no processo de reformulação do Entretenimento. Desde o convite para assumir a dramaturgia em 2014, Silvio foi sempre generoso. Entendeu a necessidade de um novo processo com os autores e trabalhou duramente em cada sinopse, em cada capítulo, em cada texto. Discutiu com cada autor o melhor rumo para aquela obra e, no ar, vimos coisas lindas, o tempo todo. Sílvio foi um gigante. Percebeu a necessidade de ampliar o grupo de autores, e revelou duas dezenas de novos profissionais em séries e novelas. O obrigado ao Sílvio é gigante, do tamanho do seu talento”, disse arlos Henrique Schroder, diretor de criação e produção de conteúdo da Globo, que também deixará a emissora no ano que vem.

“A Monica foi uma extraordinária liderança nesses anos todos. Percebi aquela jovem inquieta lá na Comunicação da Globo e achei que tinha um caminho novo, para ajudar a planejar, a criar e a construir uma área dedicada ao talento. O resultado foi maiúsculo, com uma organização ímpar. Foram novos atores, novos diretores, novos autores descobertos a partir deste olhar atento. E trouxe ainda mais qualidade para a empresa. Meu agradecimento a Monica também é imenso, do tamanho da sua sensibilidade. Os dois deixam um legado de obras estruturados por anos e anos”, completou Schroder.

Continua após a publicidade
Publicidade