Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Roteirista de ‘Me Chame pelo Seu Nome’ queria nu frontal no filme

James Ivory rebate explicação do diretor Luca Guadagnino, que garante ter feito escolhas artísticas

Por Redação 28 mar 2018, 11h47

James Ivory, 89 anos, ficou chateado com a falta de nu frontal em Me Chame pelo Seu Nome, filme que lhe rendeu o Oscar de melhor roteiro adaptado este ano. Em entrevista ao jornal The Guardian, o roteirista refutou as explicações dadas pelo diretor Luca Guadagnino, que a falta de nudez explicita dos atores era irrelevante e seria parte de uma escolha artística.

Ivory respondeu sem meias palavras. “Quando Luca diz que ele nunca pensou em colocar nudez no filme, é uma mentira. Conversamos sobre isso, sobre como seria feito. Então é balela quando ele diz que foi uma decisão artística.”

Na trama, os personagens Elio (Timothee Chalamet) e Oliver (Armie Hammer) se envolvem e protagonizam cenas quentes, que foram gravadas com certa distância ou apenas com o desvio da câmera para outro lado quando começa o rala e rola. Segundo o jornal, o contrato dos atores tinha uma cláusula contra nudez.

  • “Cenas com pessoas cobertas em lençóis antes ou depois do sexo sempre me pareceram falsas. Não costumo filmar assim”, diz Ivory que também é diretor — é dele longas como Vestígios do Dia (1993) e Uma Janela para o Amor (1985). “É mais natural do que escondê-los como Luca fez, virando a câmera para uma janela com árvores.”

    O roteirista conta que estava cotado para codirigir o longa, mas que optou por apenas ficar com o roteiro. “Não é o tipo de filme que tinha dinheiro sobrando. Então só vendi para eles os direitos do meu roteiro.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade