Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘Ronda Noturna’: Rascunho secreto de Rembrandt é encontrado sob pintura

Restauradores encontraram desenho inicial na obra-prima do mestre holandês

Por Raquel Carneiro 8 dez 2021, 18h10

Um rascunho oculto sob a grossa camada de tinta de Ronda Noturna, famoso quadro de Rembrandt van Rijn (1606-1669), foi revelada após um trabalho de dois anos e meio de restauração realizado por especialistas no Rijksmuseum, em Amsterdã. O desenho revela a primeira visão do artista antes de realizar a pintura.

Segundo os restauradores, o rascunho de base bege feito com giz demonstra que o holandês fez diversas mudanças no posicionamento e no figurino dos 34 personagens antes de completar a obra em 1642, três anos após receber a encomenda da milícia civil de Amsterdã. O museu explica que foi possível encontrar o rascunho pelo fato de Rembrandt ter usado giz, o que fez o desenho aparecer em um escaneamento que funciona como um mapeamento de cálcio.

Ao ser questionado sobre qual a real importância da descoberta, o responsável pela restauração, Pieter Roelofs, disse: “O desenho está muito bem delimitado. Nos dá a sensação de que estamos ao lado de Rembrandt acompanhando sua linha de raciocínio para criar uma obra-prima”. O especialista ainda diz que existia a suspeita de que o pintor trabalhasse com rascunhos direto na tela antes de pintar, mas não havia uma comprovação até agora. “É a primeira vez que podemos ver o processo criativo de Rembrandt. Como ele buscava a composição adequada, a estrutura.”

'A Ronda Noturna', do holandês Rembrandt Harmenszoon van Rijn, pintada no século XVIII
‘A Ronda Noturna’, do holandês Rembrandt Harmenszoon van Rijn, pintada no século XVIII Rijksmuseum/Divulgação
O rascunho de 'Ronda Noturna', quadro de Rembrandt van Rijn
O rascunho de ‘Ronda Noturna’, quadro de Rembrandt van Rijn Rijksmuseum/Reprodução

O quadro de 4,57 m de largura por 3,96 de altura vem sendo esquadrinhado pela tecnologia. Recentemente, pesquisadores usaram recursos de inteligência artificial para recuperar alguns centímetros perdidos da obra. Em outro âmbito, algoritmos foram treinados para pintar com os traços de Rembrandt.

Continua após a publicidade

Publicidade