Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Quatro curiosidades sobre a continuação de ‘Game of Thrones’

A HBO atiçou os fãs ao revelar que vai lançar em 2022 a série 'House of the Dragon', derivada da trama de fantasia

Por Raquel Carneiro Atualizado em 21 jan 2021, 17h15 - Publicado em 24 jul 2020, 06h00

– De volta a Westeros
A HBO atiçou os fãs de Game of Thrones ao revelar que vai lançar em 2022 a série House of the Dragon, derivada da trama de fantasia. Ambientado 300 anos antes dos eventos do programa original, o enredo vai acompanhar a complicada família Targaryen e o período em que uma guerra civil dividiu os ancestrais de Daenerys (Emilia Clarke, foto acima). Ainda não foram anunciados os nomes do elenco.

– Mescla de livros
A base da nova trama será o livro Fogo & Sangue, também de George R.R. Martin, sobre os reis Targaryen de centenas de anos antes de As Crônicas de Gelo e Fogo (saga adaptada por Game of Thrones). O escritor disse que duas antologias de sua autoria também vão influenciar a série: Mulheres Perigosas e Rogues, ambas com contos sobre o universo fantástico de Westeros.

– Trama principal
A partir das dicas de leitura sugeridas pelo autor, especula-se que a nova série terá fortes personagens femininas e muitos dragões. Séculos antes de Daenerys, as mulheres da casa Targaryen disputavam o direito hereditário ao trono — já que elas eram preteridas por descendentes masculinos. O impasse levou à guerra Dança dos Dragões, o primeiro grande conflito de Westeros — e no qual ambos os lados tinham os lagartões que cospem fogo ao seu dispor.

– Tentativas frustradas
Fenômeno da TV, Game of Thrones acabou em 2019 e deixou um valioso espaço vago entre os fãs de fantasia adulta. Muitas tentaram ocupar esse lugar, caso de The Witcher (Netflix), His Dark Materials (HBO) e a vergonhosa Carnival Row (Amazon Prime Video). Nenhuma fez cócegas na antecessora. A própria HBO planeja há tempos quatro séries derivadas do universo de George R.R. Martin. Uma delas, com Naomi Watts, começou a ser produzida, mas não vingou.

Publicado em VEJA de 29 de julho de 2020, edição nº 2697

  • Continua após a publicidade
    Publicidade