Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Protagonistas mulheres são menos de um terço em Hollywood

Estudo mostra pequeno crescimento de protagonistas femininas nos filmes americanos em 2016

Por EFE 22 fev 2017, 15h09

Menos de um terço das produções de Hollywood foram protagonizadas por mulheres em 2016. Segundo estudo do Centro de das Mulheres na Televisão e no Cinema de São Diego, apenas 29% dos longas lançados nos Estados Unidos no ano passado tiveram protagonistas femininas — como A Chegada, Caça-Fantasmas e Rogue One. Apesar de discrepante, a representatividade feminina no cinema cresceu cerca de 7% desde de 2015.

A pesquisa examinou os cem filmes de maior bilheteria nos EUA em 2016, sem levar em conta os longas-metragens estrangeiros. Assim, 54% dos protagonistas desses filmes foram masculinos, 29% corresponderam a mulheres e nos 17% restantes, homens e mulheres desempenharam papéis principais com a mesma relevância.

A pesquisa define o protagonista de um filme como um personagem sob cuja perspectiva a história é contada.

As protagonistas femininas se dividiram quase que igualmente entre filmes de estúdios (52%) e filmes independentes (48%), enquanto 60% das estrelas masculinas apareceram em filmes com grandes companhias envolvidas em sua produção.

Continua após a publicidade

As mulheres protagonizaram, sobretudo, comédias (28%), dramas (24%) e filmes de terror (17%). No caso dos homens, predominaram os protagonistas em dramas (30%), filmes de ação (30%) e comédias (17%).

Por outro lado, o estudo também analisou a distribuição por gênero dos personagens principais, definidos como aqueles que aparecem em mais de uma cena e são decisivos para a ação do filme, para diferenciá-los dos protagonistas.

Neste sentido, as mulheres representaram 37% dos personagens principais (3 pontos percentuais a mais que em 2015) contra 63% interpretados por homens.

A pesquisa também destacou que os papéis femininos seguem sendo mais jovens que os masculinos. Assim, as mulheres de 20 anos e 30 anos representaram 23% e 32%, respectivamente, do conjunto de personagens femininos, enquanto no caso dos homens, os papéis masculinos de 30 anos e 40 anos representaram 31% e 30% do total.

Além disso, 76% das mulheres que atuaram em filmes eram brancas, 14% negras, 6% eram asiáticas e 3% latinas. Dos personagens masculinos, 75% tinham objetivos relacionados ao trabalho, contra 54% das mulheres. Por outro lado, 46% dos papéis femininos viveram tramas vinculadas à sua vida pessoal, contra 25% dos homens.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)