Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pragas do Egito são dádiva para a audiência da Record

Novela bíblica 'Os Dez Mandamentos' volta a marcar a sua melhor audiência desde a estreia nesta terça-feira: 19 pontos

Por Da Redação 2 set 2015, 15h29

A Regra do Jogo vai enfrentar desafios de dimensões bíblicas para dar à Globo a audiência esperada pela emissora. Os Dez Mandamentos, a novela da Record inspirada em passagem do Velho Testamento, vive a sua melhor fase, exatamente na semana de estreia da trama de João Emanuel Carneiro, o esperado retorno do autor de Avenida Brasil. Nesta terça-feira, o folhetim voltou a marcar 19 pontos com pico de 21, o seu recorde na Grande São Paulo, que ela havia atingido apenas uma vez, na noite anterior.

LEIA TAMBÉM:

O estica-e-puxa de Dez Mandamentos’, ‘JN’ e ‘Regra do Jogo’

Pragas do Egito rendem recorde a ‘Os Dez Mandamentos’

Os bofes magia de ‘Os Dez Mandamentos’

‘Os Dez Mandamentos’: Moisés conversa com Deus – ou seria Cid Moreira?

A excelente fase de Os Dez Mandamentos se deve às pragas do Egito: os males que o reinado de Ramsés II enfrenta por manter hebreus em cativeiro e sob escravidão. Ao todo, são dez pragas. A primeira é a transformação de água em sangue, o que tem deixado todo o Egito — menos a vila onde moram os hebreus — sem ter o que beber.

De acordo com o historiador Maurício Ferreira, ouvido pelo site da novela, a primeira praga é a pior de todas, já que mexe com o Rio Nilo, um símbolo importante para o Egito. “Os egípcios entendem o mundo através da ordem cósmica e do caos. O faraó tenta manter a ordem cósmica, que seria o controle da natureza, e estas pragas representam uma perturbação na ordem cósmica. A ação dos deuses é justamente impedir o caos na terra e as pragas são, por fim, a representação do verdadeiro caos, ou seja, do fim”, disse ele.

“O Egito é uma faixa de terra estreita, cultivável, dentro do deserto. Longe do rio Nilo, não há vida, até porque o rio é regido por algumas divindades. O deus Khnum, por exemplo, é um deus relacionado ao rio Nilo, assim como a deusa Ísis. Segundo a mitologia, o rio Nilo representa as lágrimas da deusa Ísis. Se o rio é transformado em sangue, toda a vida no Egito será impactada. Não haverá água para beber, os sacerdotes não poderão fazer suas limpezas e purificações para as cerimônias religiosas, a plantação será prejudicada, ou seja, tudo é alterado por conta desta praga, a mais prejudicial ao Egito.”

Continua após a publicidade
Publicidade