Clique e assine com até 92% de desconto

Por ‘Aquarius’, cineastas retiram filmes da disputa pelo Oscar

Gabriel Mascaro e Anna Muylaert saíram do processo que seleciona qual longa brasileiro disputará uma vaga ao prêmio de melhor filme estrangeiro

Por Da redação Atualizado em 24 ago 2016, 21h54 - Publicado em 24 ago 2016, 20h25

Os cineastas Gabriel Mascaro e Anna Muylaert decidiram tirar seus mais recentes trabalhos, Boi Neon e Mãe Só Há Uma, respectivamente, da disputa pela indicação do Brasil à categoria de melhor filme estrangeiro do Oscar. A intenção é dar destaque ao filme Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, que, segundo ambos, estaria sofrendo uma retaliação política.

A teoria advém da presença de Marcos Petrucelli entre os nove nomeados para participar da comissão responsável pela escolha – Petrucelli é um forte crítico do pernambucano e da ação promovida por ele no tapete vermelho do Festival de Cannes, onde sua equipe protagonizou um protesto contra o impeachment de Dilma Rousseff. Outro recente episódio dado como político foi a classificação indicativa que o longa recebeu do Ministério da Justiça, para maiores de 18 anos.

Os três longas foram bem recebidos em festivais internacionais, portanto, seriam escolhas prováveis para a seleção anual feita pelo Ministério da Cultura, responsável por eleger qual produção nacional tem chances de conquistar uma vaga na cerimônia.

LEIA TAMBÉM:
Sonia Braga brilha em ‘Aquarius’, aplaudido em Cannes
Pró-impeachment defendem boicote a filme com Sônia Braga
Ministério censura ‘Aquarius’ para menores de 18

Em uma publicação na página do filme Boi Neon no Facebook, a equipe tornou pública a decisão e explica: “É lamentável que o Ministério da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual, endosse na comissão de seleção um membro que se comportou de forma irresponsável e pouco profissional ao fazer declarações, sem apresentação de provas, contra a equipe do filme Aquarius, após o seu protesto no tapete vermelho de Cannes”.

Sobre o assunto, o Ministério da Cultura divulgou a seguinte nota oficial: “A inscrição dos filmes brasileiros postulantes ao Oscar de filme estrangeiro está aberta até o dia 31/8. O Ministério da Cultura reforça a confiança na capacidade e na isenção da comissão escolhida pela Secretaria do Audiovisual. A escolha do filme atende a critérios estritamente técnicos. Até o presente momento, não houve registro de retirada de qualquer candidatura”.

Continua após a publicidade
Publicidade