Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Polícia alemã acredita que o ator Steve Martin foi enganado por falsificadores de arte

Ator comprou, em 2004, obra de arte de pintor holandês em uma galeria francesa listada como vítima de um grupo de falsificadores

Por Da Redação 31 Maio 2011, 22h55

A polícia alemã suspeita que o ator Steve Martin tenha sido vítima de um dos maiores esquemas de falsificações de arte da história. Colecionador voraz, Martin comprou em 2004 o quadro Paisagem com Cavalos, de 1915, do pintor holandês Heirinch Campendonk, listada entre as falsificações comercializadas por uma quadrilha com atuação em toda a Europa.

À época, Martin pagou o equivalente a 1,3 milhão de reais pela tela, adquirida em uma galeria francesa. A autenticidade do trabalho foi confirmada pela casa de leilões Christie’s. O valor é considerado relativamente baixo para uma obra do artista, o que despertou suspeitas ao longo da investigação que mapeou compradores e telas comercializadas. Segundo a polícia da Alemanha, a obra faz parte de um lote de obras de arte que misturava falsificações e originais. De tão bem feita, a falsificação teria passado pelo crivo da afamada casa de leilão britânica. O ator vendeu a obra dois anos depois por um valor 200 mil dólares menor.

Os investigadores já sabem que a quadrilha é formada por uma família. O alemão Wolfgang Beltracchi, sua esposa Helena, sua irmã Jeanette e cúmplice Otto Schulte-Kellinghaus, são os responsáveis pela venda de pelo menos 14 obras de grandes pintores como Campendonk, Pechstein Max, Max Ernst, todas falsificadas, em diversas galerias e casas de leilão européias.

A polícia de Colônia, na Alemanha, que conduz a investigação, estima que os estelionatários tenham lucrado cerca de 50 milhões de dólares, o equivalente a 120 milhões de reais, com a venda das obras desde o começo dos anos 2000. Em entrevista à revista alemã Der Spiegel, Martin se declarou surpreso e disse não saber que tipo de responsabilidades pode arcar por ter revendido uma obra de arte falsificada, além de esperar o ressarcimento, caso se confirme o delito, por parte da galeria em que adquiriu a tela.

Continua após a publicidade
Publicidade