Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pianista Van Cliburn morre aos 78 anos nos EUA

Músico promoveu momentos de paz entre EUA e URSS durante a Guerra Fria

Por Da Redação 27 fev 2013, 17h29

O aclamado pianista de música clássica Van Cliburn morreu aos 78 anos nesta quarta-feira vítima de um câncer de ossos. Segundo sua agente e amiga íntima, Mary Lou Falcone, Cliburn morreu em sua casa de Fort Worth, no Texas, acompanhado por amigos e familiares. “Van Cliburn foi uma lenda internacional por mais de cinco décadas, um grande humanitário e um músico brilhante cuja luz continuará brilhando através de seu extraordinário legado”, disse Mary Lou em comunicado.

Cliburn se tornou famoso aos 23 anos, ao vencer a primeira edição da Competição Internacional Tchaikovsky de Piano em Moscou, em 1958. Fazia apenas seis meses que o Sputnik — o primeiro satélite artificial — havia sido lançado, acendendo o pavio da batalha pelo espaço. A vitória ajudou a acalmar a Guerra Fria, porque o pianista se tornou querido dos russos ao ponto de o então líder soviético, Nikita Khrushchev, dar sinal verde para entregar-lhe o prêmio.

A conquista o levou a protagonizar vários concertos pelos Estados Unidos e a ser capa da revista Time, que o chamou de “o texano que conquistou a Rússia”. Até a cidade de Nova York lhe dedicou um desfile em sua honra, que reuniu mais de 100 000 pessoas em Manhattan.

Cliburn se apresentou para cada presidente americano desde Harry Truman e, com a ajuda de vários cidadãos de Fort Worth, criou a competição de música internacional que leva seu nome, destinada a ajudar jovens artistas e cuja 14ª edição acontecerá entre os meses de maio e junho. Em 2003, recebeu das mãos do presidente George W. Bush a Medalha Presidencial da Liberdade, a máxima honra do país para um civil, e um ano depois obteve a Ordem da Amizade da Federação Russa, outorgada por Vladimir Putin.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade