Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Pharrell Williams consegue diminuição na sentença por plágio de ‘Blurred Lines’

Juiz corta 2 milhões de dólares dos valores que serão pagos à família de Marvin Gaye no processo contra o produtor musical e Robin Thicke

Por Da Redação 15 jul 2015, 11h08

O caso da música Blurred Lines ganhou um novo capítulo nesta terça-feira. O juiz John A Kronstadt, que acompanha o processo entre Robin Thicke e Pharrell Williams, acusados de plágio pela família de Marvin Gaye, diminuiu o valor da indenização da sentença do julgamento de março em cerca de 2 milhões de dólares. A mudança causada por falta de evidências em alguns pontos do processo fará cair de 7,4 milhões de dólares para 5,3 milhões os valores a serem pagos pela dupla. Este montante está relacionado aos danos sofridos pela família, que caiu de 4 milhões de dólares para 3,2 milhões, e ao total designado para Williams por violar direitos autorais, que baixou de 1,6 milhões de dólares para 358.000. As informações são do site do jornal britânico The Guardian.

Apesar do corte, o juiz aceitou o pedido da família de Gaye para que a gravadora Universal, distribuidora da canção, também fosse responsabilizada pelo ocorrido. O acordo prevê que, agora, a família receba 50% dos royalties da canção em usos futuros. O juiz rejeitou o pedido de um novo julgamento solicitado pelos advogados de Thicke e William e também o desejo da família de bloquear temporariamente as vendas da música Blurred Lines, assim como apresentações dos músicos com a canção.

Leia também:

Pharrell e Robin Thicke são condenados por plágio

Pharrell se inspirou em Miley para escrever ‘Blurred Lines’

Hit ‘Blurred Lines’, de Pharrell e Thicke, rendeu mais de R$ 47 mi

Caso – A família de Gaye acusou os músicos de Blurred Lines de plagiarem o hit Got to Give It Up, de 1977. No julgamento, ocorrido em março, Thicke e Williams foram condenados por violação de direitos autorais. Porém, os jurados inocentaram o rapper TI, também creditado na música e que recebe parte dos royalties.

Na época, um documento com o depoimento de Thicke foi divulgado na imprensa, em que ele dizia estar muito bêbado durante a produção da música e que Williams seria o verdadeiro autor de Blurred Lines. Já o produtor musical chegou a dizer durante o julgamento que nunca plagiou Gaye, porém é um fã e que se inspira no espírito do cantor que fez sucesso nos anos 1970.

Até março, a música Blurred Lines havia rendido mais de 16 milhões de dólares (cerca de 47 milhões de reais). Thicke e Pharrell receberam, cada, 5 milhões de dólares, enquanto TI ficou com 700 000 dólares. A família de Gaye pedia inicialmente 40 milhões de dólares de indenização pelo uso indevido e sem autorização da música.

Continua após a publicidade

Publicidade