Clique e assine a partir de 9,90/mês

Peter Fonda chama Barack Obama de traidor em Cannes, no lançamento de filme sobre vazamento da BP

"Eu mandei um email para o presidente Obama dizendo: você é um traidor de m.", disse o ator, que coproduziu o documentário 'The Big Fix'

Por Da Redação - 18 Maio 2011, 15h08

O e-mail a que se refere Fonda teria sido enviado para a Casa Branca na semana passada. Se a mensagem chegou – e se chegou a ser lida – a Obama não se sabe. Mas a missiva de Fonda, no momento, começa a garantir visibilidade para o documentário

A edição deste ano do Festival de Cannes parece ter reservado para a etapa final as frases e declarações de maior teor ‘explosivo’. Depois da infeliz brincadeira do diretor dinamarquês Lars Von Tier, que o obrigou a pedir desculpas e explicar que não é simpatizante do nazismo, foi a vez do ator Peter Fonda requisitar seu quinhão de polêmica no tapete vermelho.

Fonda xingou o presidente norte-americano, Barack Obama, em uma entrevista coletiva, chamando-o de traidor por causa da maneira como os Estados Unidos lidaram com as conseqüências do vazemento de petróleo no Golfo do México, no ano passado.

Ambientalista de carteirinha, Peter Fonda coproduziu o documentário The Big Fix, de Rebecca e Josh Tickell, que conta a história da explosão da plataforma de extração da BP no Golfo do México, que provocou a maior catástrofe ambiental da história dos Estados Unidos.

Fonda acusa Washington de tentar manipular a situação e enganar o público. “Eu mandei um email para o presidente Obama dizendo: ‘você é um traidor de m.’, usando estas palavras. ‘Você é um traidor, você permitiu que botas estrangeiras pisassem em nosso solo e dissessem às nossas forças armadas – no caso, a Guarda Costeira – o que elas podem ou não podem fazer, e dizendo a nós, cidadãos dos Estados Unidos, o que podemos ou não podemos fazer'”, afirmou o ator.

Continua após a publicidade

O e-mail a que se refere Fonda teria sido enviado para a Casa Branca na semana passada. Se a mensagem chegou – e se chegou a ser lida – a Obama não se sabe. Mas a missiva de Fonda, no momento, começa a garantir visibilidade para o documentário.

(Com Agência Estado)

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM:

Após comentário nazista, Lars Von Trier pede desculpas

Continua após a publicidade
Publicidade