Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Paulo Gustavo é acusado de racismo ao aparecer como personagem negra

Ator postou no domingo uma foto em que está com peruca de cabelo cacheado e com o rosto, as mãos e o pescoço maquiados para que ele pareça ter a pele negra

Por Da Redação 14 jun 2016, 22h04

O comediante Paulo Gustavo está sendo acusado de racismo nas redes sociais por aparecer caracterizado como uma personagem negra, Ivonete, com peruca de cabelo crespo e com o rosto, as mãos e o pescoço pintados à maneira do “blackface”.

Leia também:

Como na TV, filme ‘Vai que Cola’ é pano de fundo para Paulo Gustavo

Namorado de Kéfera se defende de críticas sobre racismo

“E aí, Paulo Gustavo, como se sente perpetuando o racismo? Imagino que bem, né? Ganhando essa grana suja… Usando a cultura negra para fazer comédia”, atacou um usuário do Facebook. “Lamento, Paulo Gustavo, mas blackface é blackface, com ou sem explicações! É de mau gosto, como brincar com o holocausto”, escreveu outra pessoa, no Twitter.

Continua após a publicidade

Com a repercussão do caso, no domingo, o comediante voltou às redes sociais para se defender. “No dia de hoje soubemos que 50 pessoas foram covardemente assassinadas em Orlando somente por suas condições sexuais. Nesse mesmo dia em que deveríamos estar todos de luto repensando nosso ódio, nossos preconceitos e nossos limites de compreensão, tem gente que veio me atacar por representar uma mulher negra”, escreveu.

“Eu nunca fui atacado por representar um playboy machista mesmo sendo gay. Também não se incomodaram por eu fazer um nerd, uma mulher feia, uma vagaba, uma mãe de família ou um anjo… Nunca me atacaram por representar a Senhora dos Absurdos – uma mulher que se orgulha ridiculamente de ser branca, rica e hétero”, continuou. “Mas a Ivonete – que se orgulha de ser brasileira mesmo sendo crítica ao Brasil, que é pobre, mas não se sente moralmente inferior a ninguém, que gosta de ser mulher e, sobretudo, tem autoestima, amor próprio e orgulho de ser como é – me rendeu injustas críticas.”

“Eu conheci muitas Ivonetes na minha vida e tenho orgulho dessas mulheres. Ao contrário de outras personagens que eu uso para ridicularizar o tipo que elas representam, a Ivonete existe pra ridicularizar quem a ridiculariza, porque eu quero rir de gente que não gosta das Ivonetes. Porque eu amo a Ivonete. Ela é negra, nasceu negra e eu tenho o mesmo respeito por ela que eu tenho por todas as pessoas”, terminou.

Paulo Gustavo também publicou uma imagem que mostra um comentário do diretor Pedro Antonio Paes, da série do Multishow 220 Volts, para a qual o ator estava caracterizado como Ivonete. No texto, Paes defende o ator e afirma que a prática do blackface, racista em seus primórdios, agora pode ser usada como forma de combater o preconceito. Confira:

Pedro Antonio Paes comenta o caso
Pedro Antonio Paes comenta o caso VEJA

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)