Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O que pesa contra e a favor de Johnny Depp no tribunal

Batalha judicial do ator contra a ex-mulher se aproxima do fim após um longo embate envolvendo testemunhos desde celebridades até psicólogos

Por Marcelo Canquerino Atualizado em 1 jun 2022, 15h51 - Publicado em 26 Maio 2022, 11h04

A batalha judicial entre Johnny Depp e Amber Heard se encaminha para o fim: o julgamento está marcado para acabar nesta sexta-feira, 27. Amber acusou o ex-marido de violência doméstica, o que levou Depp a ser “cancelado” pelos grandes estúdios de cinema. O ator, que nega as acusações, encontrou uma brecha para processá-la por difamação por causa de um artigo assinado por Amber no jornal The Washington Post, em 2018, no qual ela relata como é viver numa relação abusiva. Transmitido pela televisão — e, consequentemente, pelas redes sociais — o processo trouxe diversas revelações dramáticas sobre o conturbado relacionamento do ex-casal. Dentre os depoimentos chocantes e a aparição de testemunhas-chave, confira os principais pontos que pesam a favor e contra Johnny Depp no julgamento contra Amber Heard:

A favor: análise psicóloga forense, parecer da polícia e a opinião pública

Dentre os pontos que favorecem a visão apresentada por Depp ao júri está o diagnóstico feito pela psicóloga forense Shannon Curry. A profissional contratada pelo ator disse que Amber Heard sofre de transtorno de personalidade limítrofe, que causa instabilidade e é impulsionado pelo medo do abandono, e de transtorno de personalidade histriônica, caracterizado pelo drama, superficialidade e necessidade de ser o centro das atenções. Segundo Curry, o diagnóstico veio após 12 horas de entrevista com Heard e de avaliações psicológicas anteriores. Outro depoimento que foi crucial para corroborar as falas de Depp, que devolveu as acusações da ex-esposa dizendo que ela era violenta, foi o da polícia que atendeu ao chamado de agressão do ator contra Heard em 2016. De acordo com o oficial Tyler Hadden, Amber se recusou a falar com os policiais. Ele também não viu sinais de lesões nela, apesar de reconhecer que ela estava chorando com o rosto vermelho.

A ex-namorada de Johnny Depp, Kate Moss, convidada a depor no julgamento na terça-feira, 24, também defendeu o ator. A modelo foi chamada para explicar o boato de que Depp a teria empurrado de uma escada durante o relacionamento dos dois nos anos 1990 — questão levantada pela própria Amber no início do julgamento. Moss desmentiu Heard e disse que o ator nunca a empurrou esclarecendo que, na verdade, o incidente ocorreu durante uma viagem a Jamaica, quando ela escorregou sozinha de uma escada. Além de Kate Moss, outras celebridades próximas a Johnny Depp se manifestaram nas redes sociais em apoio ao ator, como Angelina Jolie, Winona Ryder, Penélope Cruz; e as ex-mulheres Lori Anne Allison e Vanessa Paradis. A opinião pública e o tribunal da internet, que “descancelou” o ator, mostram apoio a Depp.

Contra: As mensagens e vídeos violentos do ator

Para corroborar seu depoimento, Amber Heard apresentou ao júri fotos de agressões físicas que ela disse terem sido causadas por Johnny Depp. Uma das imagens, feitas em 2016, mostra o rosto da atriz com um hematoma vermelho causado por um telefone atirando contra seu rosto por ele, segundo Heard. A atriz também levou aos tribunais testemunhas-chave que descreveram Depp como uma pessoa violenta e viciada em álcool e drogas. Whitney Henriquez, irmã da estrela de Aquaman, disse ter presenciado uma briga do então casal em março de 2015, quando Depp golpeou Heard no rosto repetidas vezes. Seguindo a mesma linha, Tracey Jacobs, ex-agente de talentos do ator, falou que Johnny Depp se atrasava constantemente para gravações e que ele tinha comportamento rude com os colegas — além de mencionar o uso exacerbado de álcool e drogas, visão corroborada por Joel Mandel, ex-agente de negócios do ator, e pela irmã de Amber Heard.

Outra testemunha que Amber Heard trouxe para sua defesa foi o médico-cirurgião Richard Moore, especialista em procedimentos nas mãos, que analisou o ferimento no dedo de Johnny Depp causado durante uma briga com ela. Segundo Moore, que viu imagens da lesão e a ficha médica do ator, o ferimento não poderia ter sido causado da forma como Depp descreveu — condizendo mais com um esmagamento do que corte. Em testemunho, Heard disse que a lesão foi causada quando ele quebrou um telefone na parede durante uma discussão entre os dois. Já Depp afirma que seu dedo foi cortado após a ex-esposa ter atirado contra ele uma garrafa de vodca. Por fim, o ator também tem como pontos desfavoráveis o vídeo apresentado por Heard que mostra ele sendo violento e batendo portas na cozinha durante uma discussão, além de mensagens de texto no qual fantasiava matar a ex-mulher — o que o ator afirmou ser uma “brincadeira” entre ele e um amigo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)