Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

O feminismo sensual de Karol Conká: ‘Prazeres iguais para todos’

Cantora lança clipe de 'Lalá'

Por Mabi Barros Atualizado em 9 jun 2017, 16h59 - Publicado em 8 jun 2017, 18h01

A apresentação tombante na abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 apresentou para o Brasil (e para o mundo) o feminismo sensual de Karol Conká. Dona do hit Tombei, a cantora não tem papas na língua quando se trata de defender os direitos da mulher e o empoderamento feminino, e agora, milita por prazeres iguais no sexo para homens e mulheres. Lalá, single lançado no fim de 2016 em parceria com o duo Tropkillaz, ataca o “fala muito e faz pouco” de homens na cama, e nesta quinta-feira ganhou um clipe bastante sugestivo — para não dizer lascivo.

  • Tido como tabu, o orgasmo feminino se torna motivo de reivindicação política em Lalá. Gestos que poderiam ser considerados obscenos se empregados em outros contextos exalam feminilidade na pele de Karol. O clipe usa flores e frutas como metáforas para as genitálias feminina e masculina, de forma que elas não sejam sexualizadas.

    A fotografia do clipe combina com o cabelo rosa choque de Karol. Dirigido sob o olhar certeiro da cineasta Vera Egito (Amores Urbanos), o vídeo tem cores vibrantes, destacando as variações de rosa e vermelho — tons associados ao feminino. As roupas e maquiagens de Karol seguem na mesma paleta de tons alegres. Nas cenas em que aparecem homens na cama, alvo das críticas de Karol, o clipe assume tons neutros, frios, sem nenhuma excitação.

    Lalá fará parte do segundo álbum em estúdio de Karol Conká, Ambulante – que já tem cinco singles, e nenhuma previsão de estreia.

    Confira o clipe:

    Continua após a publicidade
    Publicidade