Clique e assine com até 92% de desconto

Novos desprendimentos no Coliseu de Roma preocupam especialistas

Por Da Redação 27 dez 2011, 14h11

Roma, 27 dez (EFE).- O desprendimento nas últimas horas de pequenos fragmentos do Coliseu de Roma despertou a preocupação dos especialistas por causa do delicado estado do monumento mais simbólico e visitado da capital italiana.

‘É indispensável e urgente intervir para impedir que o Coliseu se transforme em uma grande lixeira’, disse nesta terça-feira à imprensa italiana Giovanni Puglisi, presidente da comissão italiana da Organização da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

À queda de dois fragmentos da estrutura nos últimos três dias, uniu-se hoje a notícia divulgada pela imprensa italiana sobre outro desprendimento, agora de um fragmento de um dos arcos.

Fontes do serviço de conservação do Coliseu desmentiram a Agência Efe que tivesse ocorrido novos desprendimentos, eles minimizaram o episódio, dizendo que se tratava de ‘migalhas’ de um dos desprendimentos do meio-dia de 25 de dezembro, quando uma pomba pousou em uma estrutura, despencando da altura de dez metros sem causar feridos.

O corpo de bombeiros foi no domingo à região afetada para fazer o isolamento, já que a essa hora as imediações do Coliseu costumam estar lotadas de turistas.

Pouco depois do incidente, um turista estava apoiado em um dos terraços do monumento, que veio abaixo, obrigando o fechamento ao público temporariamente de uma parte de seu circuito de visitas.

O Coliseu é o monumento romano mais visitado da capital do país. Sua situação é delicada há muito tempo, com total de 3 mil fissuras catalogadas pelos especialistas.

Em março de 2012 está previsto o início dos trabalhos de restauração do monumento, que devem durar entre 24 e 36 meses. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade