Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Novo trailer de ‘Get Back’ mostra bastidores do último show dos Beatles

Com estreia em 25 de novembro na Disney+, documentário dirigido por Peter Jackson reconta histórica gravação do álbum 'Let It Be

Por Felipe Branco Cruz 13 out 2021, 11h07

A Disney+ divulgou nesta quarta-feira, 13, o novo trailer do documentário The Beatles: Get Back, dirigido por Peter Jackson, que vai estrear na plataforma em 25, 26 e 27 de novembro, dividido em três partes. O filme será uma compilação de mais de 55 horas de filmagens feitas por Michael Lindsay-Hogg em 1969, juntamente com mais de 150 horas de gravação de áudio inéditas das sessões do álbum Let It Be.

Originalmente planejado para estrear nos cinemas em 2020, o filme foi transferido para a plataforma de streaming Disney+ e expandido para três partes, com cada uma com cerca de 2 horas de duração. Com quase 4 minutos, o trailer mostra uma interação entre os integrantes dos Beatles nunca vista, com os quatro se divertindo nos estúdios enquanto compunham as faixas de Let It Be.

  • Outra novidade que o trailer traz são os bastidores da preparação do histórico último show dos Beatles, em Londres, em janeiro de 1969, no teto da Apple Records. “Feito inteiramente de filmagens nunca antes vistas e restauradas, o documentário oferece o vislumbre mais íntimo e honesto do processo criativo e da relação entre John, Paul, George e Ringo já registrado”, diz um trecho do vídeo. As cenas estavam guardadas havia cinquenta anos.

    A julgar pelo trailer, de fato, o documentário apresentará uma versão da gravação de Let It Be jamais imaginada pelos fãs. Quando o documentário de Michael Lindsay-Hogg foi lançado, nos anos 1970, ele mostrava apenas os momentos de tensão entre os integrantes, dando a entender que as gravações foram infernais. “Fiquei aliviado ao descobrir que a realidade é muito diferente do mito”, disse Jackson em uma entrevista. “Depois de revistar todas as filmagens e áudios que Michael Lindsay-Hogg fez dezoito meses antes dos Beatles se separarem, é simplesmente um tesouro histórico incrível. Claro, há momentos de drama, mas nada da discórdia com a qual este projeto tem sido associado.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade