Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Netflix compra empresa de autor de ‘Matilda’ e amplia alcance infantil

Plataforma já produz títulos do popular autor Roald Dahl, como série sobre 'A Fantástica Fábrica de Chocolate', e apostará em games e experiências imersivas

Por Amanda Capuano Atualizado em 22 set 2021, 18h41 - Publicado em 22 set 2021, 12h23

O catálogo do popular autor infantil Roald Dahl, responsável por sucessos como Matilda e A Fantástica Fábrica de Chocolate, agora está sob o guarda-chuva da Netflix. A plataforma de streaming anunciou nessa quarta-feira, 22, a compra da Roald Dahl Story Company, com planos de expandir ainda mais seu alcance multimídia. Em nota divulgada pelo site Hollywood Reporter, o co-CEO Ted Sarandos e Luke Kelly, diretor administrativo da Roald Dahl Story Company, disseram estar de olho na criação de um “universo único entre filmes de animação, live-action e TV, jogos , experiências imersivas, teatro ao vivo, produtos de consumo e muito mais”

A compra é um passo adiante em um acordo financeiro feito entre as empresas em 2018, que cedeu à Netflix os direitos animados de dezesseis títulos da Dahl por cifras bilionárias. Como parte desse acordo, Taika Waititi e Phil Johnston estão trabalhando em uma série baseada no mundo de Charlie e a Fábrica de Chocolate, enquanto Sony e Working Title preparam uma adaptação de Matilda the Musical. Os detalhes financeiros da negociação atual não foram divulgados, mas o negócio – que foi amplamente especulado – é considerado uma das maiores compras da Netflix até agora.

Os livros de Dahl foram traduzidos para 63 idiomas e venderam mais de 300 milhões de cópias em todo o mundo. O autor galês é um dos favoritos de longa data em Hollywood, com suas histórias registrando sucesso em adaptações cinematográficas de várias épocas. Além de A Fantástica Fábrica de Chocolate e Matilda, ele ainda é o criador de Elfy, O Duende Que Caiu do Céu (1989), Convenção das Bruxas (1990 e 2020), O Fantástico Sr. Raposo (2009) e O Bom Gigante Amigo (2016), entre outros.

  • “Conforme levamos essas histórias atemporais para mais públicos, e em novos formatos, estamos comprometidos em manter seu espírito único e seus temas universais de surpresa e gentileza, enquanto também borrifamos um pouco de magia nova na mistura”, disseram os representantes da empresa.

    Segundo a Variety, todos os 26 funcionários da RDSC manterão seus cargos, e a empresa funcionará como uma unidade autônoma dentro da Netflix, expandindo os planos do acordo anterior. Uma parte significativa da receita da negociação será usada na criação de um fundo de caridade focado no apoio a instituições em prol da saúde infantil, “anti-ódio” e anti-racismo.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade