Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Musical de Spielberg com personagem trans é barrado no Oriente Médio

Disney se recusou a cortar cenas com o personagem e filme não será exibido na Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Catar, Bahrein, Omã e Kuwait

Por Amanda Capuano Atualizado em 6 dez 2021, 19h20 - Publicado em 6 dez 2021, 18h50

A adaptação do musical Amor, Sublime Amor, dirigida por Steven Spielberg, não será exibido em alguns países do Oriente Médio, relata a revista americana Variety. Segundo a publicação, o filme foi barrado na Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Catar, Bahrein, Omã e Kuwait. No caso de Arábia Saudita e Kuwait, os países mais rígidos em questão de censura, o longa não recebeu autorização para o lançamento, enquanto nos demais, a Disney se recusou a acatar os cortes solicitados pelas autoridades locais.

O motivo para a proibição, embora não haja uma justificativa oficial, provavelmente deve-se à presença de Anybodys, personagem transgênero interpretado por Iris Menas, que se reconhece como não-binário. Essa, inclusive, não é a primeira vez que filmes são censurados por questões ligadas à sexualidade ou identidade de gênero. Recentemente, Eternos, da Marvel, foi barrado na região por uma cena em que dois homens aparecem se beijando. Em 2020, a animação da Pixar Dois Irmãos – Uma Jornada Inesperada foi banido no Kuwait, Omã, Catar e Arábia Saudita por uma única cena que se referia a um casal lésbico. Na Rússia, o filme sofreu uma alteração trocando as falas das personagens de “namoradas” para “parceiras”.

Com pouca ou nenhuma separação entre religião e Estado, e governados por líderes autoritários, os países possuem leis que criminalizam a homossexualidade e a transgeneridade, impondo prisões severas. Em alguns casos, como no da Arábia Saudita e do Catar, relações homossexuais são passíveis de pena de morte. As censuras também são recorrentes, com sanções pesadas sobre a arte que circula no território.

Confira o trailer:

Continua após a publicidade

Publicidade