Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

MP recorre para manter condenação de Dado Dolabella

Ator havia conseguido anular pena por agredir a ex-namorada Luana Piovani

Por Da Redação 10 jul 2013, 16h16

O ator Dado Dolabella, que na semana passada conseguiu anular a condenação por agressão contra a ex-namorada – a atriz Luana Piovani -, ainda não está totalmente livre da Lei Maria da Penha. O Ministério Público do Rio está recorrendo ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que a agressão cometida contra Luana volte a ser enquadrada na lei 11.340/06.

A decisão que favoreceu Dado, expedida pela 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, considerou que o caso não estaria enquadrado na Lei Maria da Penha por não haver relação doméstica e de dependência de Luana em relação ao agressor. A partir da sentença, o caso deveria voltar a tramitar na Justiça comum e não no 1º Juizado da Violência Doméstica e Familiar, como havia ocorrido.

Leia: Justiça anula condenação de Dado Dolabella por agressão a Luana Piovani

No recurso, o MP sustenta que a decisão viola os artigos 2º e 5º da Lei Maria da Penha. “A função ocupada pela mulher, sua atitude diante da vida, sua não submissão aos caprichos do universo masculino não são elementos válidos para considerá-la não vulnerável na relação de convívio afetivo”, diz um trecho do recurso.

A decisão que beneficiou o ator foi do desembargador Sidney Rosa da Silva. Em sua decisão, o magistrado afirmou ser “público e notório que a indicada vítima nunca foi uma mulher oprimida ou subjugada aos caprichos do homem”. O magistrado destacou ainda que a aplicação da Lei Maria da Penha pressupõe a existência do binômio “hipossuficiência” e “vulnerabilidade”.

LEIA TAMBÉM:

O Rio de Janeiro ficou pequeno para Luana e Dado

Luana Piovani faz do Twitter seu ringue particular

“A briga com Luana fez parte do meu crescimento”, diz Dado

Continua após a publicidade
Publicidade