Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Morrissey, ex-Smiths, revela luta contra um câncer

Em entrevista ao jornal espanhol 'El Mundo', cantor inglês explicou a causa de parte de suas internações no último ano e meio, falou do seu primeiro romance e disse que só pretende descansar 'quando morrer'

Por Da Redação 7 out 2014, 09h42

O cantor inglês Morrissey, 55, luta contra um câncer. O ex-líder dos Smiths (1982-1987) revelou a doença ao jornal espanhol El Mundo, em entrevista em que também contou seus planos e, com a acidez que lhe é de costume, aproveitou para alfinetar o casal David e Victoria Beckham, que considera “insuportável”. Morrissey vinha sendo hospitalizado com frequência no último ano e meio, período em que falou, mais de uma vez, em se afastar dos palcos. Agora, no momento em que assume publicamente estar doente, o cantor diz que não pretende parar de trabalhar. Ao menos, não por completo: se deixar de se apresentar, vai ser para viver como escritor. Na próxima semana, ele, que depois de lançar uma autobiografia escreve o seu primeiro romance, inicia uma turnê de shows pela Europa para divulgar seu décimo disco solo, World Peace Is None of Your Business.

Leia também:

Morrissey divulga a música ‘Istanbul’; ouça

Morrissey, o excêntrico mito do rock britânico

“Os médicos já rasparam tecidos cancerosos em quatro ocasiões”, contou Morrissey a El Mundo, sem dizer onde está localizado o tumor. “Se for para morrer, morrerei. Agora mesmo, me sinto bem. Sei que não tenho saído bem nas fotos, mas isso é efeito de ter uma doença, faz parte. Não vou me preocupar com isso e só vou descansar quando morrer.” As internações do cantor, porém, não se devem apenas ao câncer. Morrissey já teve noticiadas uma úlcera hemorrágica no início de 2013, uma pneumonia em março e uma intoxicação alimentar em julho do mesmo ano, além de uma infecção respiratória em junho de 2014. Segundo ele, foram os médicos que recomendaram o aventado afastamento dos palcos, que ele chegou mesmo a considerar, mas desistiu de levar adiante porque fazer shows era algo muito “enraizado” nele.

Continua após a publicidade

“Estou em uma idade em que ele não deveria fazer música. Muitos compositores da música clássica morreram aos 34 anos. E eu ainda estou aqui, ninguém sabe o que fazer comigo. O público que eu tenho é muito jovem, o que me leva a crer que as canções dos Smiths, como acontece com as dos Ramones, são mais importantes hoje do que antes”, continuou.

Leia também:

Morrissey é demitido após criticar gravadora

Morrissey dispara contra príncipe William: ‘Hipócrita’

Morrissey também bateu no dono da gravadora que o demitiu recentemente. Segundo ele, Steve Barnett, o empresário, não gosta que artistas opinem. “Seu ego parece ser mais importante que o bom funcionamento da empresa.”

Na entrevista, o ex-vocalista da banda The Smiths também disse não ter vida social e viver “tranquilo” sozinho. “Não tenho necessidade de vida social. E, se você não tem vida sexual, como é o meu caso, é impossível lidar com as pessoas, porque todos só falam de sexo.” Ao falar do ofício de escritor, que é bastante solitário, ele ponderou: “Fazer amigos reais pode levar uma vida inteira e, quanto mais você conhece uma pessoa, mais decepcionado fica.”

Continua após a publicidade
Publicidade