Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Morre o cantor francês Charles Aznavour, aos 94 anos

Músico vendeu mais de 100 milhões de discos ao longo de oito décadas de carreira

Por Redação
Atualizado em 1 out 2018, 10h24 - Publicado em 1 out 2018, 09h34

O cantor francês Charles Aznavour morreu, na madrugada desta segunda-feira, aos 94 anos, em sua casa no sul da França. A notícia foi dada pelos representantes do artista à Agência France-Press. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Nascido em Paris, Aznavour foi apelidado de “Frank Sinatra francês”, por seu estilo romântico e sua popularidade na França e no exterior. Ele vendeu mais de 100 milhões de discos em todo o mundo, ao longo de mais de oito décadas de carreira.

Em maio, quando voltava de uma turnê no Japão, o cantor foi forçado a cancelar shows devido a uma fratura no úmero esquerdo, o osso mais longo do braço, após uma queda.

Filho de um cantor e de uma atriz de origem armênia, Aznavour começou a carreira de ator com apenas nove anos e investiu no talento musical a partir de 1940. No final da mesma década, foi descoberto pela cantora Édith Piaf, que o consagrou ao convidá-lo para abrir o seu show no famoso Moulin Rouge.

Continua após a publicidade
O cantor francês Charles Aznavour (Christophe Ena/Reuters)

O cantor se apresentava em cabarés durante a II Guerra Mundial, enquanto os seus pais escondiam judeus, comunistas e outras pessoas perseguidas no apartamento da família. Diversas canções do francês ganharam grande popularidade, como The Old Fashioned Way, La Bohème e Yesterday When I Was Young. 

Um de seus principais sucessos é a música She (1974), lançada originalmente em francês com o título de Tous Les Visages de L’amour. A canção foi regravada em 1999 pelo britânico Elvis Costello para integrar a trilha-sonora do filme Um Lugar Chamado Notting Hill.

Continua após a publicidade

Como ator, Aznavour é reconhecido por trabalhos como no filme Atirem no Pianista (1930), de François Truffaut, Os Fantasmas do Chapeleiro (1982) e a adaptação cinematográfica de 1979 do livro O Tambor, de Günter Grass.

Nos últimos 40 anos, o artista ainda teve suas composições gravadas por nomes como Elton John, Sting, Bob Dylan, Placido Domingo, Céline Dion, Julio Iglesias, Liza Minnelli e Ray Charles.

(Com agência France-Press e Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.