Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Michael Jackson não conseguiu patrocínio para último show

Eric Briggs, chefe da consultoria Consulting, afirmou em julgamento em Los Angeles que a turnê 'This is It' estava com problemas de financiamento

Por Da Redação 30 jul 2013, 11h43

Com sua imagem abalada por escândalos nos últimos anos de vida, Michael Jackson não conseguiu patrocínio para o que seria seu último show, apesar da venda recorde de entradas, afirmou uma testemunha ante a justiça americana. Eric Briggs, chefe da consultoria Consulting, testemunhou nesta segunda-feira no processo judicial que a família Jackson abriu contra o grupo AEG, promotor do último espetáculo do rei do pop.

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM: Duetos de Michael Jackson e Freddie Mercury serão lançados

Ex de Jackson falará em tribunal sobre vício do cantor em remédios

Médico Conrad Murray ameaça família Jackson em gravação

Os filhos e a mãe do cantor, Katherine, acusam o AEG de negligência, argumentando que o grupo confiou a saúde do astro ao médico Conrad Murray, que atualmente cumpre pena de quatro anos de prisão por homicídio culposo. A família também exige do grupo 1,5 bilhão de dólares em perdas e danos, cifra calculada pelos lucros que Jackson poderia conseguir se ainda estivesse vivo.

Continua após a publicidade

No entanto, Briggs, testemunha da defesa, declarou que a imagem do cantor estava tão deteriorada que nenhuma empresa queria patrocinar This is It, uma turnê de 50 apresentações que deveria marcar sua volta aos palcos. Para as grandes empresas, Jackson era uma figura perigosa pelas revelações pessoais que poderiam vir à tona, principalmente envolvendo casos de pedofilia, argumentou a testemunha.

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM: Michael Jackson não queria fazer “moonwalk” aos 50

Jackson passou dois meses sem dormir antes de morrer

Michael Jackson morreu em 25 de junho de 2009, aos 50 anos, por causa de uma overdose de propofol, um anestésico poderoso que ele usava para poder dormir. O remédio era administrado por Murray.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade