Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

McCartneys de todo o Brasil se encontram em Recife

Fãs prepararam surpresa para o show de Paul McCartney neste sábado, na capital pernambucana

Por Thais Queiroz, do Recife 21 abr 2012, 18h11

Na noite deste sábado, quando Paul McCartney cantarolar as primeiras notas de Ob-la-di Ob-la-dá no estádio José do Rego Maciel (Arruda), no Recife (PE), vai se deparar com centenas de sósias em preto e branco, de todas as idades. Essa é apenas uma das surpresas que os fãs do ex-Beatle prepararam para recepcioná-lo em seu primeiro show da turnê On the Run 2012 no Brasil. A ação foi organizada por um grupo de fãs recifenses liderados por Claudia Tapety, que distribuiu máscaras e bexigas para os espectadores que chegaram ao local desde a madrugada de sexta.

Thammy Chagas, de 20 anos, foi uma das primeiras a receber as máscaras especiais. Ela chegou no portão 11, que dá acesso ao gramado inferior, às 22h desta sexta. “Ficamos na fila da pista premium, cantamos e tocamos sucessos dos Beatles a noite toda, mal tive tempo de dormir. O legal é que encontramos diversos amigos de shows anteriores”.

Há 50 anos, o ex-Beatle Paul McCartney é uma lenda viva do Fab Four. A pernambucana Maria do Carmo Cavalcanti, de 84 anos, é fã do grupo desde o início e não perde um show de Paul no Brasil. “Eu e meu esposo vivíamos cantando e dançando as músicas dentro de casa, e a família toda ficou ‘doente’ por eles como nós”, brinca. Dona Maria que vai levar a família toda para o show de hoje: vinte pessoas, entre filhos e netos.

Vale tudo para ver o show histórico de perto, até mesmo cruzar o Brasil sozinho pela primeira vez, como fez o paulistano Pedro Valli, de 14 anos. “Assim que soube do show no Recife, pedi para minha mãe para vir sozinho. Comprei os ingressos pela internet e estou na casa de amigos com quem divido a paixão pelos Beatles”, contou.

Enquanto todos esperavam, um grupo animado já ensaiava para o espetáculo, cantando Hey Jude. O líder do coral era o professor mineiro Guilherme Lentz, 37 anos, que vai assistir também ao show de Florianópilis, dia 25 de abril. “Com essa turnê, terei assistido a nove shows de Paul.” A paixão pelos Beatles, conta, vem de longe. “Quando tinha 9 anos, escutei pela primeira vez um vinil velho na casa da minha avó e até hoje não me ‘recuperei’.”

Júlio César Menezes, 16 anos, de Sergipe, está realizando sua primeira viagem para além da fronteira do estado. “Eu sempre ouço McCartney, convenci minha irmã a gostar dos Beatles como eu… até trouxe meu pai, que nem era fã, para assistir ao show comigo”, disse. Nas mãos, Júlio segura um pôster gigante com a palavra “Aqui!” em trinta línguas diferentes, para chamar a atenção de Macca.

Vestindo a camisa – Outra atração à parte foram as camisetas com “tempero regional” que já estão circulando nos arredores do estádio José do Rego Maciel. Um fã de Garanhuns, agreste de Pernambuco, mandou fazer uma camiseta com o nome “Paulo Macartinei”, no sotaque da terra. Já outro fã de Fortaleza estampou na camisa uma imagem de Sir Paul arriscando uns passinhos de frevo.

Mas tem quem faça das camisas um instrumento de campanha. As mineiras Priscila Brito e Luiza Matos estampam no peito o slogan “Paul, vem falar Uai!”, um movimento para tentar levar o show do astro para Belo Horizonte. “Por pouco não tivemos show em 2010, ficamos sempre no quase e queremos mostrar que BH tem público para a próxima turnê”, diz Bárbara.

Curiosidade – Há exatos 23 anos, no dia 21 de abril de 1990, Paul McCartney realizava no Maracanã o show que bateu o recorde de maior público pagante em um concerto de rock em estádio, com 184.000 pessoas.

Continua após a publicidade
Publicidade