Clique e assine com até 92% de desconto

Madonna é notificada nas redes por postar conteúdo falso sobre a Covid-19

Cantora defendeu o uso da hidroxicloroquina, alinhando-se, pela primeira vez, a políticos criticados por ela, como Trump e Bolsonaro

Por Eduardo F. Filho Atualizado em 29 jul 2020, 12h06 - Publicado em 29 jul 2020, 11h49

Madonna, assim como representantes do governo brasileiro e americano, acredita na eficácia da hidroxicloroquina no tratamento contra a Covid-19. A cantora de 61 anos postou um vídeo no Instagram para os seus mais de 15 milhões de seguidores defendendo o uso da droga — apesar de sua eficácia contra a doença ser negada por diversos pesquisadores.

A verdade irá nos libertar! Mas algumas pessoas não querem ouvir a verdade. Principalmente pessoas no poder que só querem ganhar dinheiro com essa demorada busca pela vacina, que já foi comprovada e está disponível há meses. Eles preferem deixar o medo controlá-los e deixar os ricos mais ricos enquanto os pobres e doentes ficam mais doentes”, escreveu Madonna, disseminando teorias conspiratórias. 

ASSINE VEJA

Os ‘cancelados’ nas redes sociais Leia nesta edição: os perigos do tribunal virtual. E mais: nova pesquisa sobre as eleições presidenciais de 2022
Clique e Assine

O Instagram incluiu na postagem da cantora um aviso de “notícia falsa” e colocou um link que direciona os usuários a uma página contendo informações verdadeiras sobre a doença — incluindo a explicação de que não há, ainda, uma vacina contra o coronavírus. Após a notificação, o conteúdo foi retirado da página da cantora.

Em maio, Madonna revelou aos seus seguidores que havia se contaminado com o coronavírus durante a última turnê que fez em Paris e que possui os anticorpos contra a Covid-19. “Não estou doente neste momento”, revelou.

A cantora não é a única a causar polêmica com comentários sobre a Covid-19, disseminando informações falsas a milhões de seguidores. No começo da semana, o tenor italiano Andrea Bocelli criticou a quarentena imposta pelo governo de seu país e disse não acreditar que a Covid-19 seja de fato perigosa, já que ele não conhecia ninguém que morreu ou ficou em estado grave com a doença.

No mesmo tom conspiratório, o rapper Kanye West chegou a dizer que a vacina contra o coronavírus será uma maneira de o governo infiltrar chips nas pessoas.

Mudança de lado

Madonna destoa de Bocelli e West por ser alguém contrária às visões de políticos de direita, como Donald Trump — quem, aliás, publicou o mesmo vídeo defendendo a hidroxicloroquina e também ganhou uma notificação do Twitter e um aviso de conteúdo falso. Desde que foi eleito, Trump é constantemente criticado por Madonna, que o acusa de ser um supremacista branco.

A cantora americana também já demonstrou diversas vezes seu repúdio ao presidente brasileiro Jair Bolsonaro, outro que defende o uso da hidroxicloroquina publicamente. Em 2018, durante as eleições presidenciais no Brasil, Madonna publicou uma foto com a boca coberta com a hashtag #EleNão em português. Depois, em outubro de 2019, ela voltou a se manifestar, desta vez cobrando um posicionamento do presidente sobre as queimadas na Amazônia. Recentemente, em abril deste ano, ela repostou vários vídeos de brasileiros fazendo “panelaços” em suas janelas gritando ao fundo: “Fora, Bolsonaro”.

Teria Madonna mudado de lado? Ou seria apenas uma nova adepta das teorias conspiratórias tão abundantes nas redes hoje? Fica a dúvida.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade