Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Luciano Huck sobre decisão de juíza que tentou impedir aborto: “Tortura”

O apresentador encerrou o 'Domingão' dando opinião incisiva contra a decisão da juíza, afirmando ainda: 'Criança não é mãe'

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 27 jun 2022, 10h17 - Publicado em 27 jun 2022, 10h12

Luciano Huck se juntou à lista de famosos que repudiaram o caso de uma criança de 11 anos que teve o direito ao aborto negado por uma juíza em Santa Catarina. O apresentador encerrou o Domingão com uma nota de repúdio e classificou a decisão da juíza como “tortura”. “Criança não é mãe”, afirmou.

“Meu repúdio à tortura a que a juíza de Santa Catarina submeteu uma menina como a gente viu essa semana que passou. Uma criança de 11 anos grávida – fruto de um estupro. Não estou aqui para propor uma discussão sobre o aborto, não estou, não quero falar de ideologia, religião. Quero falar da lei brasileira que garante o direito de interromper uma gravidez como essa”, disse Huck.

O apresentador se referia à juíza Joana Ribeiro Zimmer, que negou o direito à criança de fazer um aborto e questionou a menina se ela “não suportaria ficar mais um pouquinho” e se a menina já tinha pensado em um nome para o bebê. Depois, a menina foi separada da mãe e levada para um abrigo, onde ficou até terça-feira, 21, a mando da Justiça para evitar que fizesse o aborto. Na última quarta-feira, 22, o Ministério Público Federal em Florianópolis divulgou que o aborto, finalmente, havia sido realizado.

Em uma rara declaração incisiva, o apresentador foi além, lamentando as situações absurdas que têm ocorrido no Brasil e no mundo com relação ao aborto. “Como alguém, que está ali para proteger, pergunta para uma criança se ela aguentaria ficar mais um pouquinho, se ela não quer escolher um nome? Como assim? Quem mundo que a gente está?”, disse Huck. “Parece que no Brasil as violências estão se acumulando, se amontoando, a linha do que é aceitável, do que é digno, vai sendo empurrada para mais longe. Semana após semana, a gente está tendo que enfrentar o lado mais sombrio da nossa sociedade, e não é esse o país que a gente sonha. Vamos deixar claro: criança não é mãe”, concluiu.

Além de Luciano Huck, outros famosos também se posicionaram contra a decisão, como a atriz Paolla Oliveira. “Uma mãe leva sua filha para o hospital e acaba sendo separada dela. É uma sucessão de violências e humilhações absurdas. Criança não é mãe, criança não é incubadora. Estuprador não é pai, estuprador é criminoso. Que se faça a justiça que essa juíza não foi capaz e não teve interesse de fazer. Que se desfaça a violência que essa juíza cometeu”, escreveu a atriz.

Taís Araújo também se posicionou postando frases como “criança não é mãe” e “estuprador não é pai”. Além dela, também repudiaram também a decisão da juíza o influenciador digital Felipe Neto e as cantoras Zélia Duncan e Daniela Mercury.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)