Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Lei ‘anti-gay’ ameaça multar show de Madonna na Rússia

As autoridades de São Petersburgo aprovaram recentemente uma polêmica lei que pune com multa de até 170 dólares quem fizer "propaganda homossexual"

Por Da Redação 22 mar 2012, 13h38

Um deputado governista da Rússia afirmou nesta quinta-feira que, se a cantora Madonna fizer “propagandas homossexuais” durante seu show na cidade de São Petersburgo, previsto para o próximo mês de agosto, ela será multada em até 170 dólares. “Se os organizadores infringirem essa lei, eles também serão punidos”, afirmou o deputado governista Vitali Milonov, em declarações recolhidas pela agência de notícias ‘Interfax’.

As autoridades de São Petersburgo aprovaram recentemente uma polêmica lei que proíbe a propaganda homossexual, que a Igreja Ortodoxa Russa espera estender por toda a Rússia. De acordo com a nova lei, qualquer propagação de informações sobre a homossexualidade, bisexualidade, lesbianismo, a transexualidade e pederastia pode ser penalizada com uma multa.

Por causa dessa lei, muitas personalidades pediram para Madonna cancelar seu show na antiga capital dos czares. A estrela pop, por sua vez, disse que em seu show em São Petersburgo “falará a favor da comunidade homossexual para prestar apoio e inspiração para qualquer pessoa que esteja ou se sinta oprimida”. “Não fujo da adversidade. Falarei durante minha atuação sobre esta ridícula atrocidade”, disse a cantora em sua página do Facebook.

As organizações homossexuais criticaram a lei ao considerar que a mesma supõe uma violação da liberdade de expressão e que servirá de pretexto para as autoridades continuarem proibindo as passeatas do orgulho gay.

A última tentativa de realizar uma passeata do orgulho gay na capital russa ocorreu no ano passado. A manifestação, no entanto, não chegou a ocorrer e acabou resultando em um violento confronto entre ativistas homossexuais e ultranacionalistas, além da prisão de várias dezenas de pessoas.

Em sua primeira apresentação na Rússia, em 2006, Madonna também causou um grande escândalo. Na ocasião, durante o show da turnê mundial Confessions, a cantora aparecia pendurada em uma cruz com uma coroa de espinhos na cabeça, fato que escandalizou os fiéis ortodoxos russos, que pediram para o Patriarca excomungar os organizadores.

O artigo 121 do código penal da Rússia, que sancionava com penas de prisão as práticas homossexuais, só foi abolido em maio de 1993. Neste mesmo ano, a homossexualidade também deixou de ser considerada uma doença mental na Rússia.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade