Clique e assine a partir de 8,90/mês

Kurt Cobain classifica rap como ‘misógino’ em entrevista inédita de 1991

Líder do Nirvana também afirmou que o gênero não deveria ser produzido por artistas brancos

Por Redação - 22 nov 2018, 16h19

Vinte e quatro anos após a morte de Kurt Cobain, uma entrevista inédita concedida pelo vocalista do Nirvana a um jornalista amador agitou a internet. A conversa ocorreu em 1991, dias antes do lançamento do álbum Nevermind, que colocou o hit Smells Like Teen Spirit nas paradas de todo o mundo e perpetuou o conjunto como grande nome da música alternativa.

Quando questionado sobre o rap, Cobain afirmou ser fã do gênero, mas não poupou críticas à misoginia presente nas letras das canções. “Eu sou um fã de rap, mas a maioria das músicas é tão misógina que eu nem consigo ouvir”, contou.

O compositor também revelou desagrado quanto a presença de artistas brancos no meio. “(…) é uma das poucas formas originais de música introduzidas recentemente, mas assistir a homens brancos fazendo rap é como assistir a brancos dançando. Nós não sabemos dançar, nós não sabemos fazer rap”.

Cobain também abriu o jogo sobre a desvantajosa produção do primeiro álbum. “No fim, só ficamos com uns 20.000 dólares para comprar instrumentos e outros equipamentos. Eu nem tenho onde morar agora”, revelou.

O entrevistador Roberto Lorusso, hoje professor em Londres, escreveu que só decidiu compartilhar o material agora pela falta de qualidade apresentada. “Isso é objetivamente terrível em termos de padrão jornalístico. (…) minhas perguntas foram malfeitas porque minha pesquisa ficou incompleta e imprecisa”.

Lorusso acrescentou que, no entanto, a gravação “ainda é história, não importa o quão mal executada a entrevista tenha sido” e por esse motivo resolveu publicá-la.

Continua após a publicidade
Publicidade