Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Kate Upton detalha assédio de Paul Marciano, da Guess

Modelo afirma que foi apalpada pelo diretor criativo da marca e xingada de ‘porca gorda’

Por Da redação
7 fev 2018, 21h56

Kate Upton detalhou o assédio sexual que afirma ter sofrido de Paul Marciano, cofundador da marca Guess. Na semana passada, no Twitter, a modelo afirmou, sobre o diretor criativo da grife: “Ele não deveria usar seu poder na indústria para assediar mulheres sexual e emocionalmente”. Em entrevista à revista Time, a modelo afirma que foi assediada já no primeiro encontro com o americano, em 2010, quando assinou seu primeiro contrato com a marca, aos 18 anos. “Assim que eu entrei com o fotógrafo Yu Tsai, Paul veio até mim, agarrou os meus seios à força e começou a apalpá-los – brincar com eles, na verdade”, disse. Segundo ela, Marciano disse que ele queria “ter certeza de que eles eram de verdade”.

Kate afirma que Marciano continuou a tocá-la “de maneira dominadora e agressiva” no encontro. “Agarrando minhas coxas, meus braços para me puxar para mais perto, meus ombros para me puxar para mais perto, meu pescoço, meus seios, e me cheirando”, afirmou a modelo. Marciano, segundo Kate, chegou a pedir que o fotógrafo deixasse os dois a sós, mas a modelo conseguiu mandar uma mensagem de texto para o colega pedindo para que ele ficasse.

Kate conta que Marciano se ofereceu para acompanhá-la até o quarto dela, mas ela recusou. Em outra ocasião, a modelo afirma que o diretor criativo da Guess novamente tentou se convidar para ir ao quarto dela, mas ela não permitiu. “No dia seguinte, me disseram que eu tinha sido demitida da campanha. Alguém ligou para a minha agencia para dizer que eu estava gorda e que não seria necessária no set. Eu fiquei desolada, especialmente porque até aquele momento ninguém da Guess tinha sequer me visto.”

Na última campanha que a modelo fez com a Guess, em 2011, ela afirma que Marciano foi “rude” o tempo inteiro, mentindo que ela estava bêbada e chamando-a de “nojenta” e “porca gorda”. Ela voltou a ser convidada para fazer uma campanha para a marca, no ano seguinte, por 400.000 dólares, mas recusou.

Continua após a publicidade

Em nota à Time, Marciano chamou as acusações de Kate de “falsas” e “absurdas”. “Eu nunca estive sozinho com Kate Upton. Eu nunca a toquei de maneira inapropriada. Nem ia me referir a uma modelo da Guess de forma tão depreciativa. Eu apoio integralmente o movimento #MeToo. Ao mesmo tempo, eu não vou permitir que outros me difamem e manchem minha reputação. Eu dei à Guess e sua diretoria executiva meu completo apoio e cooperação para uma investigação justa e imparcial”, disse.

Procurado pela Time, o fotógrafo Yu Tsai afirmou que testemunhou o assédio que a modelo descreve e corroborou detalhes de suas acusações.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.