Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

John Galliano é condenado por declarações antissemitas

Estilista escapou da prisão, mas terá de pagar 2 multas, no total de 6 mil euros

Por Da Redação 8 set 2011, 10h02

O estilista italiano John Galliano foi condenado, nesta quinta-feira, pela acusação de antissemitismo a que respondia por declarações ofensivas a judeus. Uma corte francesa sentenciou o estilista a duas multas, que somam 6.000 euros (cerca de 15.000 reais).

Galliano foi julgado em dois processos, um aberto por ofensas proferidas a um casal em outubro de 2010 e o outro, por xingamentos a uma senhora, em fevereiro de 2011. Os dois episódios ocorreram em um café parisiense. Pelo primeiro, o estilista terá de pagar multa de 2.000 euros e, pelo segundo, de 4.000 euros.

A sentença foi anunciada nesta quinta em Paris, na França. Galliano não compareceu à audiência no Tribunal Correcional de Paris. O julgamento havia ficado pronto para a sentença em 22 de junho, em uma audiência na qual o estilista pediu perdão pelos crimes que cometeu.

A acusação de antissemitismo valeu ao estilista sua demissão da grife francesa Dior, da qual era diretor criativo. Em seguida, Galliano se internou em uma clínica de reabilitação para tratar o vício em álcool e medicamentos. Motivos, aliás, alegados por ele para tamanho destempero. Galliano poderia ter sido condenado a pena máxima de seis meses de prisão e a pagar uma multa de 22.500 euros (cerca de 51.000 reais).

(Com Agência France Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade