Clique e assine com até 92% de desconto

Jimmy Cobb, baterista de ‘Kind of Blue’, morre aos 91 anos

Artista, que gravou o icônico disco de jazz ao lado de Miles Davis, sofria de um câncer de pulmão

Por Tamara Nassif Atualizado em 27 Maio 2020, 12h26 - Publicado em 25 Maio 2020, 17h55

O baterista Jimmy Cobb morreu na noite do domingo, 24, aos 91 anos. Conhecido por gravar com Miles Davis o disco Kind of Blue, o mais vendido da história do jazz, Cobb era o último artista vivo da equipe – esta formada pelos saxofonistas John Coltrane e Julian Adderley, o baixista Paul Chambers e Bill Evans, no piano. Segundo a esposa Eleana, ele sofria de um câncer de pulmão.

Nascido em Washington em janeiro de 1929, Cobb também era conhecido por ser autodidata e ter aprendido a tocar sozinho aos 18 anos de idade. Na década de 1950, se mudou para Nova York em busca de oportunidades no ramo musical e começou a estabelecer contato com Davis. Do encontro nasceu Kind of Blue, lançado em 1959 e apresentado no Brasil em 2009, em um show para o Bridgestone Music Festival, no Citibank Hall.

O baterista também gravou com outros grandes nomes do jazz, como o saxofonista Cannonball Adderley, Wes Montgomery, guitarrista americano, e Pearl Bailey, cantora dona de um prêmio Toni. Apesar do status entre os músicos, Cobb vinha sofrendo com dificuldades financeiras nos últimos anos e a filha, Serena, lançou uma campanha de arrecadação de fundos para cobertura de gastos médicos não custeados pelo plano de saúde, que acumulou 94.000 dólares doados. Na descrição da campanha, a filha escreveu que ele era “um homem humilde, que sempre ajudava a comunidade, e nunca pediria ajuda por si próprio”.

A confirmação da morte veio de Todd Barkan, amigo de Cobb e dono do clube de jazz Keystone Korner Baltimore, em Maryland, nos Estados Unidos, um dos últimos lugares agraciados pela presença do grande musicista. Além de Serena e Eleana, Cobb também deixa a filha mais nova Jaime.

Continua após a publicidade
Publicidade