Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

J.K. Rowling é criticada por atores de ‘Harry Potter’

Acusada de transfobia, autora recebeu alfinetada de Daniel Radcliffe: 'Mulheres trans são mulheres'

Por Eduardo F. Filho Atualizado em 9 jun 2020, 12h34 - Publicado em 9 jun 2020, 12h24

Contumaz defensora de minorias, J.K. Rowling, autora da série Harry Potter, causou revolta no fim de semana ao fazer uma série de comentários considerados transfóbicos no Twitter. A sequência foi iniciada quando a autora leu um artigo que no título se referia a “pessoas que menstruam”. Irônica, ela devolveu: “Pessoas que menstruam. Tenho certeza que existia um nome para essas pessoas”, escreveu na rede social antes de tentar “lembrar” a palavra “mulher”. Criticada pela comunidade trans, J.K. manteve a postura. “Se gênero não for real, então não existe atração entre pessoas do mesmo sexo. A realidade de mulheres no mundo é apagada. Eu amo pessoas trans, mas apagar o conceito de gênero remove a possibilidade de discutir de fato suas realidades.” 

ASSINE VEJA

Os riscos da escalada de tensão política para a democracia Leia nesta edição: como a crise fragiliza as instituições, os exemplos dos países que começam a sair do isolamento e a batalha judicial da família Weintraub
Clique e Assine

A ampla discussão chegou agora ao alto escalão de Harry Potter. Daniel Radcliffe, que deu vida ao protagonista da série no cinema, escreveu um texto em suas redes sociais criticando a autora. “Mulheres trans são mulheres. Qualquer declaração ao contrário apaga a identidade e a dignidade de pessoas transgênero e vai contra todos os conselhos dados por associações profissionais de saúde que têm muito mais experiência no assunto que Jo [apelido de J.K. Rowling] ou eu”, escreveu o ator que completou: “A todos aqueles que agora sentem que sua experiência com os livros foi manchada ou diminuída, sinto profundamente pela dor que esses comentários causaram”. 

Além de Daniel, a atriz Katie Leung, intérprete de Cho Chang (a única personagem asiática da série de livros), também se pronunciou em suas redes sociais compartilhando links de apoio a pessoas trans negras e pessoas LGBTQ.

Essa não é a primeira vez que J.K. é atacada nas redes sociais acusada de discriminação. Em dezembro, a autora apoiou uma mulher que foi demitida por postar nas redes sociais que as pessoas não podem alterar seu sexo biológico. Ela ainda foi criticada também por acrescentar uma relação homossexual à série Harry Potter apenas depois que os livros foram publicados.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês