Clique e assine com até 92% de desconto

Indicação de filme brasileiro ao Oscar não terá participação do governo

Academia Brasileira de Cinema anunciou nomes de comissão independente que selecionará o representante nacional na premiação americana

Por Raquel Carneiro Atualizado em 14 ago 2020, 14h14 - Publicado em 14 ago 2020, 13h53

A Academia Brasileira de Cinema divulgou nesta quinta-feira, 13, os nomes dos membros da comissão que vai eleger qual produção nacional representará o país na busca por uma vaga entre os indicados ao prêmio de melhor filme internacional no Oscar.

A Academia assumiu em 2017 a função respondendo a Secretaria do Audiovisual – pasta do extinto Ministério da Cultura. Antes, os membros eram majoritariamente da Secretaria. Esse é primeiro ano que a Academia não passará pelo governo federal a aprovação do selecionado.

A escolha do filme que representa o país na busca por um espaço na premiação já foi tema de discussões políticas, quando cineastas acusaram o governo vigente de preterir seus filmes por razões ideológicas. Caso emblemático ocorreu com Aquarius (2016), de Kleber Mendonça Filho, que concorreu à Palma de Ouro, no Festival de Cannes, onde o cineasta e sua equipe fizeram um protesto contra o então presidente Michel Temer. Meses depois, o longa, apesar de ser apontado como favorito pelo meio, não foi selecionado pela Secretaria do Audiovisual para disputar a vaga na premiação.

ASSINE VEJA

A encruzilhada econômica de Bolsonaro Na edição da semana: os riscos da estratégia de gastar muito para impulsionar a economia. E mais: pesquisa exclusiva revela que o brasileiro é, sim, racista
Clique e Assine

Os membros da atual comissão são profissionais da área, alguns parte da Academia de Hollywood, responsável pelo Oscar. São eles os cineastas Lais Bodanzky, Roberto Berliner, Viviane Ferreira, Andre Ristum e Toni Venturi; os diretores de fotografia Afonso Beato e Lula Carvalho; e os produtores Clelia Bessa, Leonardo Monteiro de Barros, Renata Magalhães e Rodrigo Teixeira.

A cerimônia do Oscar, adiada por causa da pandemia, está marcada para acontecer no dia 25 de abril de 2021. Novas regras de elegibilidade foram aplicadas devido ao momento de exceção, caso da data de estreia limite dos filmes. O longa brasileiro elegível deve estar dentro da janela de estreia que vai de 1º de outubro de 2019 e 31 de dezembro de 2020.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade