Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

‘Império’: Naná pede Xana em casamento. Ele diz não

Cabeleireiro diz à amiga que eles são uma dupla dinâmica, e não um casal

Por Da Redação 19 dez 2014, 19h16

Naná (Viviane Araújo) vai tentar colocar os pingos nos is em sua relação com Xana (Ailton Graça) em Império. Nos próximos capítulos da novela, o cabeleireiro vai protagonizar mais uma crise de ciúme por causa de um telefonema de Antônio (Lucci Ferreira) a Naná. A manicure, então, questiona: “Por que não me pede logo em casamento? Já que tem tanto ciúme de mim e não admite nem mesmo que eu pense em outro homem…”. Mas o cabeleireiro convence a amiga que eles são “uma dupla dinâmica, não um casal”. O autor da trama, Aguinaldo Silva, postou a cena em seu blog. Confira abaixo um trecho:

Leia também:

Separação de Alfredísis — infelizmente — acaba em 2015

‘Império’ bate recorde de audiência em São Paulo

Com ‘Império’, Marjorie Estiano se divide entre TV e música

“E é aí que Xana se refaz e parte pro ataque:

“Claro que não, Naná. Por acaso um colibri pode se acasalar com um hipopótamo? Nós pertencemos a espécies diferentes, que não se cruzam!”

Naná discorda: “pra mim tu é um homem e eu sou uma mulher, ué!” Mas Xana segue na sua explicação para o não-casamento entre os dois: “tu não entendeu, vou explicar de novo. Eu sou um daqueles plugues de três pininhos, e tu é uma daquelas tomadas antigas. Não tem encaixe, entendeu?” Naná discorda de novo:

Continua após a publicidade

“Se botar adaptador tem! E adaptador que eu falo é o jeito de viver. Olha o exemplo de seu Cláudio e dona Beatriz. Podia ser o tipo deles”.

Xana parte pra galhofa: “péssima comparação. Eles tiveram dois filhos, e eu nunca vou ficar grávida!” Naná reclama porque ele não leva o assunto a sério, e Xana resolve encerrar o papo de vez:

“Naná, a gente é amigo! Eu sinto tua falta, sim, tenho ciúmes, sim, mas é da tua amizade, e só! Tenho medo que, se tu arrumar alguém, essa coisa tão bonita que une a gente fique em segundo plano. E depois, pra duas pessoas se casarem, precisa muito mais que adaptador ou adaptação… Precisa de sexo! Por isso é melhor esquecer este assunto… Ou rir dele”

E é aqui que Naná cai na real… E concorda: “é, né? Pra não estragar a amizade”. Xana brinca: “somos uma dupla dinâmica, Naná! E não um casal…”

Xana reflete um instante, enquanto Naná o observa, e divaga:

“Mas já pensou? Eu de véu e grinalda, metido num vestido de cauda longuíssima, com um buquê na mão… E tu de paletó e gravata, nós dois chegando assim diante do padre?…”

Naná: “o coitado ia ter um ataque!”

E os dois encerram o assunto se abraçando e dando as maiores risadas.”

Continua após a publicidade
Publicidade