Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Há ingressos para o Rock in Rio. E custam 4 vezes mais

Comércio paralelo na internet pede até mais de 1.000 reais em cada entrada; agências de viagens ainda são uma opção, com estadia e transporte inclusos

Por Da Redação 5 abr 2013, 17h21

Ainda há ingressos para o Rock in Rio 2013. Mas quem sonha em curtir algum dos sete dias de festival (entre 13 e 22 de setembro) vai precisar desembolsar muito mais do que os 260 reais cobrados no site oficial do evento para um ingresso de pista (ou 130, a meia). Imediatamente após a venda relâmpago – em que todas as entradas foram vendidas em um prazo relâmpago de 4 horas e 4 minutos – dezenas de ofertas começaram a se multiplicar na internet, algumas cobrando mais de quatro vezes mais do que o preço normal.

No site viagogo, que se define como “bolsa on-line de ingressos”, por exemplo, entradas para o dia 20 de setembro, quando se apresenta Bon Jovi, estão sendo oferecidos por um valor entre 827 e 1.086 reais. Esta foi a data mais concorrida na venda oficial, esgotando-se em apenas uma hora e meia. O segundo dia campeão de procura foi o 13 de setembro, quando quem sobe ao palco é a cantora Beyoncé. Nesta compra paralela, o valor cobrado é ainda maior, e pode chegar a 1.155 reais – o equivalente a ingressos para quatro dias de Rock in Rio.

Leia: Ingressos para o Rock in Rio se esgotam em quatro horas

Apesar dos preços abusivos, a procura é intensa. Uma estudante de 30 anos, moradora de São Paulo, precisou de menos de duas horas para vender sua entrada extra, disponibilizada no site Comprei e Não Vou. E ela pedia 900 reais em um ingresso para o dia 20. “Um erro no meu processo de compra debitou o valor de dois ingressos no meu cartão. Como o processo para cancelar era complicado, resolvi colocar no site para tentar revender”, explica ela ao site de VEJA, pedindo para não ser identificada. “E fiquei chocada por conseguir vender tão rápido.”

Outro estudante de 23 anos, do Rio de Janeiro, pede 700 reais para um ingresso do dia 13, e 600 para o dia 14, quando as atrações principais são Capital Inicial, Thirty Seconds To Mars, Florence and The Machine e Muse. As ofertas estão frenéticas, garante ele, que diz ainda não ter decidido se vai mesmo fechar negócio. “Comprei três dias para mim e minha mulher, mas quando vi pessoas revendendo, pensei em colocar a oferta para ver se dava resultado”, conta ele, que não abre mão de comparecer ao evento no dia 20. “Já ofereceram até um valor acima do que eu pedi, mas ainda não decidi”, completa.

Continua após a publicidade

Em uma busca rápida pela internet é possível encontrar entradas para todos os dias, em uma diferença de preços sem qualquer parâmetro plausível. Há quem peça 600 reais por meia-entrada (que no site oficial custava 130). Valores abaixo de 300 reais são raros – e evaporam em questão de minutos. No Facebook, dois perfis que usam o logo do Rock in Rio também fazem sucesso no comércio paralelo. Em menos de seis horas, o Rock In Rio 2013 Trocas e Vendas ganhou 10.000 likes, facilitando o caminho para a barganha.

Leia também:

Leia também: Polícia vai barrar falsos estudantes no Rock in Rio

Cambismo – A organização do festival informa ter criado restrições para a compra de ingressos justamente para evitar a revenda abusiva e a ação de cambistas. Cada usuário poderia comprar, no máximo, quatro bilhetes por dia (e só uma meia-entrada), controlados pelo número do seu CPF. O Rock in Rio ainda enfatiza que “não se responsabiliza por ingressos comprados fora dos canais oficiais de venda”.

Quem procura por garantia na hora de adquirir seu ingresso, a maneira é recorrer à agência de viagens oficial do evento, que comercializa pacotes para o festival, que podem ter transporte, hospedagem e ingresso incluídos, a partir de 1.668 reais.

O Rock in Rio, que chega à 13ª edição, tem início na sexta-feira, 13 de setembro, e segue pelos dias 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro, na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade
Publicidade