Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Funcionários da RedeTV! entram em estado de greve

Trabalhadores marcaram nova reunião sobre os problemas que enfrentam no canal para a próxima quinta-feira. Segundo sindicato, a diretoria da emissora pediu empréstimo para acertar parte do passivo trabalhista a partir de segunda

Por Meire Kusumoto 8 ago 2013, 17h16

Cerca de 60 funcionários da RedeTV! votaram a favor de estado de greve no início da tarde desta quinta-feira, em assembleia realizada na frente da sede da emissora, em Osasco, pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo — o mesmo que na semana passada encaminhou ao governo federal uma carta pedindo a cassação da concessão do canal, pelo descumprimento de leis trabalhistas. Na assembleia, decidiu-se também pelo agendamento de uma nova reunião, marcada para a próxima quinta-feira, 15 de agosto, em que uma greve poderá entrar na pauta.

LEIA TAMBÉM:

Jornalista bloqueia verba publicitária da RedeTV!

Os funcionários da RedeTV! acusam a emissora de descumprir uma série de leis trabalhistas, como a falta de repasse dos valores do INSS aos cofres da Previdência Social, o não recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) de seus empregados, a falta de pagamento por rescisão de contrato a funcionários demitidos, a apropriação dos valores descontados em folha de pagamento que deveriam ser repassados à entidade sindical, o atraso de salários e vale-transporte, o não-pagamento de horas extras, férias e vale-refeição e a falta de repasse de valores a convênios de planos de saúde e odontológico. Além disso, alguns funcionários disseram sofrer assédio moral de seus superiores ao reclamar dos problemas enfrentados na empresa.

Pagamento à vista — Durante a assembleia, Sérgio Ipoldo recebeu a informação de que um dos sócios da RedeTV!, Amilcare Dallevo, havia conseguido empréstimo de um banco para pagar as rescisões de contrato de funcionários demitidos desde setembro do ano passado, o que deve ocorrer a partir da próxima segunda-feira. Segundo José Marcos de Souza, secretário-geral do sindicato, o valor estimado da dívida gira em torno de 3,5 milhões de reais.

As outras questões levantadas pelos trabalhadores seguem sem solução. Amilcare Dallevo e outros quatro diretores do canal se reuniram com representantes do sindicato e funcionários na manhã desta quinta-feira para discutir os problemas. Segundo Souza, que participou do encontro, a única promessa feita pela diretoria foi a da tentativa de resolução das rescisões de contrato. Todas as outras reinvindicações foram comentadas, mas nenhuma proposta foi feita.

Continua após a publicidade

Outra reunião com a diretoria deve ser marcada na próxima semana, mas, ainda assim, José Marcos de Souza disse que o sindicato pretende enviar uma nova carta à presidente Dilma Rousseff e aos ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

Funcionários se reúnem em frente à sede da RedeTV!, em São Paulo
Funcionários se reúnem em frente à sede da RedeTV!, em São Paulo VEJA

Teste do sofá – A denúncia da modelo Priscila Vilela, que disse não ter recebido cachê do programa Teste de Fidelidade, apresentado por João Kléber, por ter se recusado a manter relações com o diretor da atração, também foi lembrada na reunião. De acordo com o sindicalista, Amilcare afirmou que solicitou ao departamento jurídico da emissora que investigasse o caso.

Para Sérgio Ipoldo, no entanto, o “teste do sofá” de Priscila não foi um caso isolado, é uma prática comum em todas as emissoras de televisão. “Isso acontece em todas e o desrespeito à mulher não se limita ao teste do sofá. Ontem mesmo, uma modelo apareceu completamente nua no programa da Luciana Gimenez. É um absurdo.”

Crise – A RedeTV! é alvo de especulações sobre sua saúde financeira desde a saída dos humoristas do Pânico, em fevereiro de 2012, e das declarações da apresentadora Hebe Camargo sobre o atraso em seu salário.

LEIA TAMBÉM:

Ministro das Comunicações diz que denúncias trabalhistas contra RedeTV! são graves

Continua após a publicidade
Publicidade