Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘A Forma da Água’, vencedor da noite, leva Oscar de melhor filme

Ao todo, filme levou quatro estatuetas, incluindo a de melhor diretor, para o mexicano Guillermo Del Toro

Por Redação Atualizado em 5 mar 2018, 02h11 - Publicado em 5 mar 2018, 01h47

Ao contrário de filmes como Corra!, com suas viradas assustadoras, o Oscar comemorou seus 90 anos com uma festa-padrão. Apesar de todo o clima político que cercava o evento, não houve discursos arrebatados — Frances McDormand foi a honrosa e maravilhosa exceção — nem surpresas na distribuição dos prêmios. A Forma da Água, do mexicano Guillermo Del Toro, fez aquilo que se esperava dele e levou a maior parte das estatuetas da noite, incluindo as de melhor filme e diretor.

Em um discurso em que lembrou que é imigrante — e desterrado –, o mexicano Guillermo Del Toro procurou insuflar coragem e esperança. “Quando criança, eu via filmes no México e achei que isso nunca fosse acontecer comigo. Chutem a porta e façam acontecer”, disse, com a estatueta principal do Oscar nas mãos.

Dunkirk ficou em segundo lugar em número de prêmios, com três estatuetas de categorias técnicas. Três Anúncios para um Crime, cotado para o principal troféu da noite, ganhou nas categorias de melhor atriz, para Frances McDormand, e ator coadjuvante, com Sam Rockwell. Viva – A Vida É uma Festa, Blade Runner 2049 e O Destino de uma Nação ficaram, cada um, com duas estatuetas. O último ganhou em melhor maquiagem e deu a Gary Oldman seu primeiro Oscar de melhor ator. Viva levou os prêmios de melhor animação e trilha sonora.

Entre os demais indicados, destacaram-se Me Chame pelo Seu Nome (melhor roteiro adaptado), Corra! (roteiro original) e Trama Fantasma (figurino).

Continua após a publicidade

Jimmy Kimmel, muito mais bem comportado e contido neste ano do que em 2017, chegou a mencionar a questão do assédio sexual logo no início da festa. Ao encarar uma réplica gigante da famosa estatueta dourada, brincou, “Não tem pênis, este é o homem ideal para esta cidade (Los Angeles)”. Em seguida, citou nominalmente Harvey Weinstein, o superprodutor acusado de assédio e estupro por dezenas e dezenas de mulheres.

Neste sábado, o prêmio Framboesa de Ouro, espécie de paródia do Oscar, incluiu Weinstein entre os “mortos de 2017”.

 

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês