Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘Fogo e Paixão’ reúne 20 mil foliões ao som de brega

Bloco se reuniu no Largo de São Francisco e homenageou o Chacrinha

Por Mônica Garcia, do Rio de Janeiro 8 fev 2015, 16h23

O bloco ‘Fogo e Paixão’ mergulhou no universo do Cassino do Chacrinha e levou para a rua o enredo “Cassino Fogo e Paixão”, para representar o famoso programa de auditório e um dos maiores comunicadores que o Brasil já teve. A bateria se vestiu a rigor com direito a um sósia do ‘velho Guerreiro’, o professor Alexsander Fidélis, 42 anos, além de chacretes, pessoas vestidas de troféu abacaxi, entre outros ícones do programa.

Galeria de fotos: Acadêmicos do Baixo Augusta atrai multidão em São Paulo

Focado no universo brega, o bloco agitou cerca de 20.000 pessoas, segundo estimativa da organização, desde as 10h deste domingo o Largo de São Francisco, no centro do Rio de Janeiro. Os foliões, na maioria vestidos a caráter, cantaram e curtiram o carnaval ao som dos mais diversos ritmos e músicas consideradas cafonas pela crítica, mas que segundo a advogada Fernanda Braga, 26 anos, são canções que ultrapassam fronteiras. “As músicas do bloco agradam todas as idades e pessoas. Não tenho vergonha de dizer que adoro as músicas. Meu namorado toca na bateria e frequento o bloco há cinco anos”.

Leia também:

Bloco do Sargento Pimenta arrasta 60 mil foliões ao som de Beatles em São Paulo

Bloco Bangalafumenga reúne foliões em São Paulo

Pelo segundo ano consecutivo o bloco fez uso de um drone para captar imagens aéreas. Com o apoio do canal erótico Sexy Hot foram distribuídas 15.000 camisinhas, em ação que contou com a presença da apresentadora e ex-BBB Bianca Jahara. “Adoro música brega. Quem viveu os anos 80 não tem como não gostar”, disse a carioca que participou do Big Brother Brasil 8 e foi fantasiada de chacrete para o bloco.

Na multidão, um grupo se destacou. Vestidos com uniformes da Alemanha, os foliões brincavam com o fracasso da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Sete pessoas vestiram a camisa dos campeões do mundo e levantaram a taça, já o único gol brasileiro, no vergonhoso 7 a 1, foi lembrado na figura do goleiro Júlio César. No calor de 35º, o propagandista Christiano Santos, 34 anos, foi fantasiado de capitão Jack Sparrow, do filme Piratas do Caribe. “Minha mulher não gosta de carnaval. Ela me deu um ‘vale Carnaval’ com a promessa de eu perder dois quilos. Com esse calor, vou perder rapidinho”, brincou.​

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês