Clique e assine com até 92% de desconto

Filme sobre Hector Babenco é indicado pelo Brasil para concorrer ao Oscar

Documentário 'Babenco - Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou', de Bárbara Paz, vai tentar uma vaga no prêmio de 2021

Por Raquel Carneiro Atualizado em 23 nov 2020, 17h43 - Publicado em 18 nov 2020, 14h05

O documentário Babenco – Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, dirigido por Bárbara Paz, que foi esposa do cineasta Hector Babenco (1946-2016), foi selecionado para representar o Brasil na busca por uma vaga no Oscar de 2021. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 18, pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais.

A produção acompanha a trajetória do diretor nascido na Argentina e radicado no Brasil, que conduziu obras como Pixote – a Lei do Mais Fraco (1981), sobre a situação dos meninos de rua; O Beijo da Mulher Aranha (1985), que projetou Sonia Braga no exterior e rendeu a Babenco uma indicação ao Oscar de melhor diretor; e Carandiru (2003), baseado no livro de Drauzio Varella sobre a sua experiência como médico da penitenciária, longa que concorreu à Palma de Ouro, no Festival de Cannes.

Em 2019, o filme de Bárbara conquistou o prêmio de melhor documentário no Festival de Veneza, na Itália. Agora, ele entra na pré-lista da Academia de Hollywood para a categoria de filme internacional. Em seguida, uma primeira seleção será anunciada, antes dos indicados finais ao prêmio, que, devido a pandemia, foi adiado para o dia 25 de abril de 2021.

Continua após a publicidade
Publicidade