Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Filme francês ‘O Artista’ arrasa no Bafta, o Oscar inglês

Longa mudo e em preto e branco de Michel Hazanavicius foi destaque no Bafta

Por Da Redação 13 fev 2012, 09h13

O filme mudo e em preto e branco O Artista, do francês Michel Hazanavicius, arrasou neste domingo na festa do cinema britânico ao conseguir sete dos doze Baftas a que concorria. Entre eles, os dois grandes prêmios da noite (filme e diretor). Levou ainda os prêmios de melhor ator para o francês Jean Dujardin, roteiro original, fotografia, figurino e trilha sonora, consolidando seu papel de favorito para o Oscar, que acontece dentro de duas semanas. A premiação também consagrou Meryl Streep em seu papel de Margaret Thatcher em A Dama de Ferro e premiou A Pele que Habito, de Pedro Almodóvar.

“Vejo que os senhores são gente inteligente e lhes agradeço por isso”, brincou Hazanavicius. Mas a vitória do longa deixou um gosto amargo na boca dos outros candidatos, como mostrou o roteirista Peter Straughan, ao receber o Bafta de melhor roteiro adaptado por O Espião que Sabia Demais — indicado a onze categorias, das quais levou apenas duas, inclusive melhor filme britânico. “Agradeço a O Artista por não se basear em um livro”, disse.

Uma das surpresas da noite foi a vitória de A Pele que Habito, do diretor espanhol Pedro Almodóvar, na categoria de melhor filme em língua não-inglesa — as apostas eram para o iraniano A Separação. Este é o quinto Bafta para Almodóvar, que não foi à cerimônia em Londres e enviou uma nota de agradecimento lida pelo apresentador do prêmio, o ator de Bollywood Anil Kapoor.

Já Meryl Streep, que já tem dois Baftas, era ganhadora certa do prêmio melhor atriz, e não seria diferente com sua interpretação de Margaret Thatcher em A Dama de Ferro. A veterana atriz, de 62 anos, foi a figura da noite ao perder seu sapato quando subia as escadas do palco para receber o troféu. O ator Colin Firth, que apresentava o prêmio, pegou o sapato e o colocou no pé da atriz, transformada por um momento em Cinderela. O filme levou ainda o Bafta de melhor maquiagem.

Em outra surpresa da noite, o canadense Christopher Plummer levou o prêmio de melhor ator coadjuvante em Toda Forma de Amor, se tornando o ator mais velho a ganhá-lo (ele tem 82 anos). A americana Octavia Spencer venceu como melhor atriz coadjuvante por seu papel de criada negra em Histórias Cruzadas.

O documentário Senna, sobre, óbvio, o piloto brasileiro de Fórmula 1 Ayrton Senna, levou os prêmios de melhor documentário e edição, mesma quantidade de troféus abocanhados por A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese, que concorria em nove categorias.

Embora não tenha ganhado o Bafta de melhor diretor, Scorsese foi aplaudido calorosamente ao receber o Bafta em honra à sua trajetória, que inclui filmes como Taxi Driver, Os Infiltrados e Touro Indomável.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês