Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Festival do Rio: a festa do cinema de olho no mercado

Evento vai reunir na cidade nomes consagrados da produção. Mostras terão 400 filmes de 60 países, com exibição da cópia restaurada e estendida de ‘The Pleasure Garden’, de Alfred Hitchcock

Por Roni Filgueiras, do Rio de Janeiro 18 set 2012, 21h00

Para o público, o Festival do Rio é uma festa em que 400 filmes estarão em exibição entre 27 e 11 de outubro. Mas o momento da produção nacional faz com que, para produtores, empresas, artistas e toda a cadeia envolvida na indústria do audiovisual, o evento seja também uma festa para a economia do cinema. A vocação carioca para as telas foi o ponto central da apresentação feita nesta terça-feira pelas diretoras executivas Ilda Santiago e Walkiria Barbosa, à frente do festival que já é um dos maiores eventos de cinema do continente. “Fechamos este ano uma parceria com a Oscar Academy Awards pela qual estamos trazendo vários profissionais premiados para workshops, seminários e palestras, como Tom Flesichman e Chris Newman'”, disse Walkiria, coordenadora da RioMarket, feira de negócios que acontece paralelamente ao festival. Os nomes principais entre os vencedores do Oscar são os editores de som Newman (O Poderoso Chefão) e Fleischman (Hugo Cabret).

“Só este ano a RioFilme investiu 135 milhões de reais em 100 projetos”, enfatizou o presidente da RioFilme, Sérgio Sá Leitão, maior patrocinador do evento, com 10 milhões de reais investidos ao longo de quatro anos. A crescente demanda por produções nacionais nos canais de TV por assinatura cria, para polos de produção como o Rio, oportunidade de alavancar negócios. E o Festival do Rio acaba sendo o grande ponto de encontro para quem trabalha e desfruta do cinema. Este ano o festival terão 400 produções, entre curtas e longas, vindos de 60 países, distribuídos em 20 mostras, que ocuparão 30 pontos de exibição. Entre os locais incluídos na programação estão salas da zona Sul ao Complexo do Alemão, passando pelas areias de Copacabana e pelo Méier, com a inauguração da Sala Carioca do Centro Cultural João Nogueira, na zona norte da cidade. A festa carioca abre no dia 27 com o aguardado Gonzaga – De Pai para Filho, de Breno Silveira, em noite de gala no Odeon Petrobras.

Hitchcock – O público carioca será o segundo no planeta a assistir à cópia restaurada e estendida de ‘The Pleasure Garden’, de Alfred Hitchcock, que volta a acontecer, depois de uma interrupção de quatro anos, na sessão Cinema na Praia, nas areias de Copacabana. O filme de estreia do autor de ‘Janela indiscreta’ foi restaurado pelo British Film Institute, ganhando cerca de 20 minutos em sua versão até então conhecida, e teve seu lançamento mundial em Londres, em junho deste ano. No Rio, a exibição do longa de 1925, em preto e branco, com 82 minutos, será dia 4 de outubro, às 20h, e terá o acompanhamento da OSB Jovem, com entrada franca. É só levar a cadeira de praia e torcer para não chover.

Entre as apostas, passarão pelas telas da cidade obras badaladas e premiadas nos recentes festivais de cinema internacionais, como César deve morrer, dos irmãos italianos Paolo e Vittorio Taviani, Urso de Ouro do último Festival de Berlim; o thriller Twixt, de Francis Ford Coppola (com Val Kilmer); a comédia Lay the favorite, de Stephen Frears (com Bruce Willis e Catherine Zeta-Jones); Magic Mike, de Steven Soderbergh (com Matthew McConaughey como um profissional do strip-tease); The we and the I, de Michel Gondry; e Moonrise Kingdom, de Wes Anderson, que abriu o último Festival de Cannes. A fila de pesos-pesados engrossa com Another Year, de Mike Leigh; Días de Pesca, de Carlos Sorín; Stories We Tell, de Sarah Polley; In the Land of Blood and Honey, de Angelina Jolie; Hemingway & Gellhorn, de Philip Kaufman; e Selvagens, de Oliver Stone.

A cota de bochicho da festa fica a cargo das presenças (confirmadas até o momento) do ator Jeremy Irons (que representa o documentário ambiental Trashed, produzido por ele), dos diretores Fernando Trueba (que defende El Artista y la Modelo), Leos Carax (Holy Motors) e do casal Jonathan Dayton e Valerie Faris (de A Pequena Miss Sunshine e que trazem Ruby Sparks).

Já os cineastas Teresa Villaverde (‘Cisne’) e João Pedro Rodrigues estão na grande comitiva lusitana da Mostra Imagens de Portugal, que homenageia ainda o diretor Manoel de Oliveira. Ainda entre os convidados, Roland Joffé (do drama ‘There be dragons’, sobre a guerra civil espanhola com Rodrigo Santoro); e a autointitulada ‘avó da performance’, a iugoslava Marina Abramovic (estrela do documentário ‘Vida e morte de Marina Abramovic segundo Bob Wilson’, de Giada Colagrande, sobre a peça biográfica que reuniu o diretor Robert Wilson, o ator Willem Dafoe e o cantor Antony Hegarty, do grupo Antony and the Johnsons).

A mostra Film Doc reúne documentários sobre as obras de ícones das telas e da música: Roman Polanski: A Film Memoir, de Laurent Bouzereau; Woody Allen: A Documentary, de Robert B. Weide; Method to the Madness of Jerry Lewis, de Gregg Barson; Michael Jackson Bad 25, de Spike Lee; Neil Young Journeys, de Jonathan Demme (O silêncio dos inocentes) sobre o cantor Neil Young; e Marley, de Kevin Macdonald, dedicado a Bob Marley. A produção recente do Reino Unido (Foco Reino Unido – UK Season), os tarimbados diretores Alberto Cavalcanti e Manoel de Oliveira e João Pedro Rodrigues são alguns dos homenageados dessa edição, que presta tributo ainda ao cultuado autor de filmes de terror John Carpenter. O cardápio de atrações se completa com a exibição competitiva de 29 curtas nacionais, entre eles Cabelo apresenta MC Fininho e DJ Barbante no baile funk (Gentil) Carioca, da estilista Marcella Virzi; A dama do Estácio, de Eduardo Ades, com Fernanda Montenegro; Zéfiro explícito, de Sergio Duran e Gabriela Temer; e Janaína, de Anna Azevedo.

CONHEÇA A LISTA COMPLETA DE FILMES DO FESTIVAL DO RIO 2012

Continua após a publicidade

Publicidade